O que se passa Rafa?

Benfica's Portuguese forward Rafa da Silva (C) shoots to score a goal during the Portuguese league football match between SL Benfica and Portimonense SC at the Luz stadium in Lisbon on May 4, 2019. (Photo by PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP)

A segunda passagem de Jorge Jesus pelo Benfica não foi positiva no que toca a resultados e títulos mas houveram jogadores a evoluir para um plano superior. Weigl no aspecto defensivo e Rafa na definição foram os casos mais notórios de evolução apesar de continuarem a evidenciar dificuldades nestes aspectos. Porém, desde a saída de Jorge Jesus e com a mudança do sistema tático com a chegada de Nélson Veríssimo que parece que que Rafa se encontra muito abaixo daquilo que mostrou nos meses anteriores onde era um jogador altamente influente nos golos da equipa.

No jogo com o Portimonense, toda a equipa encarnada encontrou dificuldades com e sem bola mas Rafa, aos 70 minutos de jogo já contabilizava 12 perdas de bola. Sendo o avançado português um jogador de desequilíbrios, é normal ter um número de perdas relativamente elevado comparado com outros colegas, no entanto, parece que Rafa não só está a perder a posse de bola várias vezes, como a impedir que a equipa consiga progredir no terreno dada a falta de largura que o avançado oferece devido a procurar sempre terrenos interiores.

Vários foram os lances em que Gilberto procurou soluções exteriores e foi obrigado a dar atrás para Otamendi ou Taarabt para que a equipa pudesse voltar a pensar a segunda fase de construção da equipa. Por outro lado, também no timing de soltar o passe Rafa teve dificuldades perdendo algumas bolas na definição.

Apesar das dificuldades que tem sentido e que sentiu no jogo em Portimão, Rafa está ligado ao segundo golo do Benfica numa jogada que coloca em prática um movimento típico ao vir de trás, em velocidade e em condução a servir para a finalização.

Sabendo que Rafa aumenta de rendimento a jogar solto nas costas dos avançados como chegou a jogar com JJ, a pergunta fica no ar:
As dificuldades de Rafa advêm das ideias de Nélson Veríssimo não estarem adequadas às suas caraterísticas, ou poderá o avançado encarnado não estar a passar um bom momento de forma o que tem voltado a expor as dificuldades de finalização e definição?

Sobre EdgarDavids 58 artigos
Analista de Desempenho Coletivo e Individual & Técnico de Exercício Físico.

4 Comentários

  1. Lá vêm eles defender o banal Rafa, enfim, tempo perdido, mas não para quem há poucas semanas afirmava que este e o L. Diaz eram os melhores jogadores do campeonato (foda-se é preciso ter lata!!).

    O colombiano é capaz de ser o melhor jogador dos campeonatos tuga, belga, neerlandês, norueguês e sueco todos juntos. Já o Rafa não é o melhor nem da rua dele.

    Para mim a diferença nos números (não de rendimento) é ter uma equipa toda a jogar para ele ou não ter.

    O Jesus, num erro crasso entre muitas parvoíces, acreditava que o Rafa é um fora-de-série ao ponto de tudo com bola girar à sua volta. Digamos que é um exemplo típico das dificuldades que o JJ demonstra em perceber os jogadores e aquilo que podem dar. Com que efeitos na equipa? Pelo que sabemos, devastadores.

    O Veríssimo, que pelo menos com bola demonstra mais ideias do que o JJ (também não é difícil, realmente), pelos vistos defende que o Rafa ou outro qualquer não pode ter essa preponderância toda – ou então falamos de Messi e coisas afins.

    Portanto, o ilustre Rafa ou dá ao pedal ou pode ir ser a estrela do Braga, do Granada ou do Wolves, contextos que lhe assentam bastante bem.

  2. Doze perdas de bola e quantas faltas sofridas? E quantos amarelos gerados por essas faltas? E quantas faltas não assinaladas?

    É fácil bater no Rafa.

  3. Claramente o Rafa é um jogador de corredor central, como ficou demonstrado nesta ultima passagem do JJ. Por outro lado, defensivamente é inoperante, por isso nunca vai jogar no corredor central num sistema de 442 ou 433. Rafa, assim como o Grimaldo, é um jogador que faz poucas coisas muito bem. Hoje em dia é preciso jogadores que façam muitas coisas bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*