Os que foram

Terminou a fase de grupos do Euro U17 e embora a diferença de qualidade individual das maiores seleções, para as mais modestas, há sempre nomes para apontar. Da eliminação da Bélgica (dado a qualidade individual foi uma surpresa), à eliminação da Suécia no talvez, grupo mais equilibrado do Euro, acabando com os mesmos pontos que Dinamarca e Portugal, perdendo no confronto direto.

Ofek Melika, Guarda-Redes Israel (05´, Hapoel Raanana)– Perfil físico robusto, com 1.88m de altura, muito inteligente no controlo da profundidade e nas saídas em situações de cruzamento/bolas paradas. Rápido entre os postes, nos deslocamentos e uma postura corporal correta. Competente na construção, a temporizar e a perceber onde está homem-livre. Apresenta recursos no passe curto e longo, como também no jogo de mãos. Guarda-Redes bem interessante.

Sofiane Ikene, Defesa-Central Luxemburgo (05´, F91 Dudelange)– Com bola é um jogador bastante competente. Boa relação com bola, facilidade no passe curto e longo, nas diagonais longas, calmo a construir. Sente-se confortável a jogar com o pé mais fraco. Em situações de pressão não se inibe de recorrer à criatividade (fugir para espaço, gesto técnico). Inteligente como se antecipa, intenso nos duelos, bom sentido posicional, robusto no jogo aéreo, 1×1 defensivo, desarme. Foi recentemente campeão nacional pelo seu clube, onde com 17 anos já teve 4 presenças no escalão principal e marcou um golo.

Nº 5

Martin Georgiev, Defesa-central Bulgária (05´, Slavia)- Recentemente associado ao Barcelona, é um defesa-central que também pode ocupar a posição de médio-defensivo. É seguro a construir, não procura arriscar, procura jogar simples. Apurado na leitura de jogo pensando na ação seguinte antes de receber a bola. Posiciona-se bem, boa colocação dos apoios, o que lhe permite reagir ao tipo de situação que o jogo pede. É um jogador que se antecipa bem aos momentos e tem um bom timing de desarme.

Nº6

Stanis Idumbo Muzambo, Médio-Centro Bélgica (05´, Ajax)- Ágil, inteligente a fugir para o espaço, criativo, qualidade no passe e a progredir no terreno, através da condução ou do passe. Rápido, inteligente na forma como se movimenta, procurando os melhores espaços para receber a bola. Tem uma mudança de direção “agressiva” (rápido a mudar de direção), tornando-se imprevisível no 1×1 ofensivo. Tanto pode ocupar zonas centrais do terreno, ou então procura jogar a descair para o corredor lateral e a partir daí procurar desequilibrar/organizar jogo. Das camadas jovens do Ajax, é um jogador a ter em conta.

Nº10

Yarin Levi, Médio-Centro Israel (05´, Maccabi Haifa)- Bom tecnicamente,  primeiro toque, critério com bola e inteligente na variação do jogo. Sente-se confortável a jogar em espaços curtos, movimenta-se bem entre-linhas (a procurar estruturas para dar solução de passe), a rodar o pescoço para perceber o que se passa à sua volta e mantem a postura quando recebe a bola, orientando-se muitas das vezes bem para o jogo. Rápido nas abordagens de pressão e no desarme da bola. Foi um pendulo desta equipa de Israel, presente nos momentos ofensivos e defensivos da equipa, gerindo os ritmos do jogo. Oriundo da formação da Maccabi Haifa.

Nº8

Jardell Kanga, Extremo ou Médio-Ofensivo Suécia (05´, Leverkusen)– Agora com video, relembro os meus ultimos apontamentos de Jardell Kanga. Até ao momento, é o melhor marcado da prova com 4 golos. É um jogador com um centro de gravidade baixa, o que é difícil de lhe tirar a bola. Esconde bem a bola do opositor, utiliza bem o corpo para a proteger e é criativo a fugir para o espaço. Boa relação com bola e um primeiro toque que permite orientar-se bem para progredir para os espaços livres. A jogar por fora, ou espaços interiores, é uma das referências ofensivas da Suécia. Comprado recentemente pelo Leverkusen, o “Messi” Sueco marcou dois golos, agitou o ataque da Suécia.

Enock Agyei, Extremo Bélgica (05´, Anderlecht)- Jogador com um perfil físico robusto. Explosivo e veloz com bola, a procurar receber por fora ou por dentro e partir para o duelo. Um jogador que aproveita as vantagens físicas que tem nos duelos 1×1 ofensivos, através da força, ou habilidade (drible). Finta e joga com ambos os pés e foi um dos jogadores que mais agitou o ataque da Bélgica. Necessita de algumas melhores na tomada de decisão, tecnicamente e fisicamente é um jogador a ter muito em conta. Joga na equipa B do Anderlecht.

Borislav Marinov, Extremo Bulgária (05´, Septemvri Sofia)- A jogar preferencialmente no lado direito do ataque, pé esquerdo elegante, boa relação com bola, criativo, forte no 1×1 ofensivo. Procura algumas vezes receber a bola num corredor lateral para se movimentar de fora para dentro. É um jogador que se associa bem aos colegas, inteligente a fixar por dentro. Mostrou pormenores interessantes no ataque da Bulgária.

E ainda também nomes como:

Kazper Karlsson, Médio-Centro Suécia (05´, Halmstads)
Matteo Vinlöf, Lateral Suécia (05´, Bayern Munique
Taha Ayari, Avançado Suécia (05´, AIK)

Louis Jackson, Defesa Escócia (05´, Manchester United)
Bobby Wales, Avançado Escócia (05´, Kilmarnock)
Lennon Miller, Médio Escócia (06´, Motherwell)

Mika Godts, Médio-Centro Bélgica (05´, Genk)
Arthur Vermeeren, Médio-Defensivo Bélgica (05´, Royal Antwerp)

Berkay Yilmaz, Lateral (05´, Freiburg)

Fabio Lohei, Lateral Luxemburgo (05´ Fz Metz)
Clayton Irigoyen-Goni, Lateral Luxemburgo (05´, FC Nurnberg)

Yuval Kretzo, Médio-Ofensivo Israel (05´, Hapoel Raanana)
Yan Yusupov, Extremo Israel (05´, Beitar Jerusalem)
Karem Zoabi, Avançado Israel (06´, Hapoel Jerusalem)

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*