Final da Taça da Liga. Saídas para o ataque. Boas ou más opções?

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Ainda a Taça da Liga.

No jogo do Algarve, Paulo Bento e Quique, um pouco contra a natureza daquela que tem sido a filosofia de Sporting e Benfica ao longo da sua história, decidiram-se por sair para o ataque, através de futebol directo.

Ao longo de todo o jogo, o Sporting optou por colocar o seu Guarda Redes, a marcar o pontapé de baliza, de forma directa para o meio campo adversário. A opção passou por colocar a bola na zona de João Moutinho, que foi o jogador mais solicitado para disputar a 1a bola. Uma opção, algo estranha, tendo em conta a morfologia de Moutinho, mas que teve o seu momento alto, no lance que culminou com o golo de Pereirinha. Tal como em quase todos os pontapés de baliza leoninos, Moutinho recuou alguns metros para disputar a 1a bola, ao mesmo tempo que Vukcevic e Derlei ocuparam o espaço entre os defesas e os médios encarnados. Moutinho ganhou a 1a bola, colocando-a nos pés de Vukcevic. Uns segundos depois, o Sporting inaugurava o marcador.

Importante referenciar também, a principal oportunidade do Sporting, para além do golo obtido por Pereirinha, construída de forma similar. Pontapé longo de Tiago, Moutinho de cabeça serve Vukcevic, que recebe a bola no mesmo espaço (entre os defesas e médios do SL Benfica), e termina a servir Liedson, para um remate que David Luiz acaba por cortar próximo da linha de golo.

Tal como Paulo Bento, o treinador do SL Benfica, optou por uma saída em futebol directo para o ataque.

Se na primeira parte, o alvo terá sido o corredor lateral direito, na procura de Reyes, para a 1a bola, na segunda parte, a estratégia alterou-se.

O lance comum a quase todas as saídas para o ataque do SL Benfica na segunda parte, foi o pontapé de Quim, dirigido para o corredor central, onde Suazo recuava uns metros, e disputava a 1a bola. Enquanto isso, Nuno Gomes primeiro, Di Maria depois, procuravam a profundidade, nas costas da defesa do Sporting e Reyes, Aimar e Katsouranis aproximavam-se da zona onde a 1a bola era disputada. Os primeiros ainda próximos dos corredores laterais, o grego, garantindo a cobertura ofensiva a Suazo.

Também o golo do SL Benfica, nasce na sua saída típica para o ataque. Pontapé longo de Quim, Suazo ganha a 1a bola, colocando-a no caminho de Di Maria.

Se é certo que este tipo de estratégia pareça promover mais contacto físico, intensidade e emotividade ao jogo, também não se pode dissociar a qualidade reduzida de jogo na final da Taça da Liga, das opções dos seus treinadores.

Ter talento na equipa, e optar por futebol directo, é sempre uma decisão lamentável. Ainda que em determinados momentos, se perceba a ideia.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3011 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

5 Comentários

  1. E desculpem lá, mas acho que o Petit não pode ser votado, porque abdicou da carreira internacional. Acho que o disse ainda durante o Euro-2008. Estão todos esquecidos, ou fui eu que sonhei?

  2. Não haver nem Fernando Meira nem Zé Castro nas opções para central parece-me um bocado esquisito. Um deles seria a minha segunda opção. Assim escolhi o Carriço, que ainda é sub-21. De igual modo, Pedro Mendes talvez fosse a minha primeira opção para médio-defensivo.

  3. o Meira foi um terrivel esquecimento. Tb me esqueci dele como Medio Defensivo. Felizmente, ainda deu p voltar atras (ainda só havia um voto). N o pude fazer enquanto central, pq ja la estavam vários votos 🙁

    O Zé Castro e o Mendes, apesar de me ter lembrado deles, resolvi não os colocar, por ter partido do principio que ng os selecionaria.

    MY mistake.

    abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*