José Mourinho. XIX

“Acho que fundamentalmente houve demasiada precipitação. Quando uma equipa tem jogadores a mais, os espaços criam-se com naturalidade e em função de um controlo de posse de bola, às vezes deve-se exagerar na posse de bola, e os espaços surgem”.

Sobre o Portugal – Inglaterra. Campeonato do Mundo 2006.

“Imediatamente após a Inglaterra ficar com 10 jogadores, viu-se o Petit a rematar de 30 metros, o Maniche a rematar de 25 metros, o Cristiano Ronaldo a agarrar na bola, a driblar e a rematar de imediato. Tem que se fazer exactamente o contrário, temos que jogar com os jogadores abertos e aumentar a distância entre as linhas. Podiam ter feito melhor. Mas é uma carga emocional muito grande, só quem está lá dentro é que sabe. Muitas vezes as emoções sobrepõem-se à razão e ao conhecimento e posicionamento táctico. Não é fácil. A Inglaterra, quando ficou a jogar com 10, juntou duas linhas de quatro (4+4+1), e sob o ponto de vista defensivo não é muito diferente”.

Ainda, sobre o Portugal – Inglaterra. Campeonato do Mundo 2006.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3047 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*