A magnífica periodização táctica está a chegar ao Sporting?

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Para grandes problemas, grandes remédios. Venha de lá esse choque metodológico.

Ninguém poderá ao certo afirmar com relativa certeza, a real qualidade de Villas Boas. Não porque precise de resultados ou troféus para demonstrar qualidade. Questões relacionadas com a liderança, comunicação e operacionalização no terreno, das suas boas ideias, são as possíveis incertezas.

Em termos tácticos, contudo, a expectativa é enorme. Pelo discurso para fora, denota excelentes ideias. Sabe o caminho a trilhar e parece saber de que forma o fazer. Tem uma experiência bastante rica. Bem superior a qualquer treinador com vinte anos de insípido serviço.

Consiga através dos exercícios, potenciar as suas ideias, e Jorge Jesus e Jesualdo Ferreira terão um adversário à altura.

Tal como a chegada de Jorge Jesus ao SL Benfica, Villas Boas no Sporting significa o progresso. Um dia, a periodização será toda assim… táctica.

P.S. – Texto elaborado, antes do término das negociações. Será parecido o perfil do próximo treinador. Ou seria Villas Boas, somente, um caso de lucky guess?

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3252 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

14 Comentários

  1. Acho interessante a evolução das opiniões que por aqui vão passando:

    – primeiro Quique era o maior, o novo Mourinho.

    – depois, progressivamente, Quique passou de cavalo a burro e acabou como incompetente.

    – Entretanto, Jesus era posto no mesmo "saco" de M.Machado. Não tinha discurso para um grande clube.

    – Hoje Jesus é o maior. Como se sempre tivesse sido.

    – Há dias Villas Boas era "talvez" atrás do "sim" a Adriaanse.

    – Agora, é um "grande remédio", um "lucky guess"

    Isto é como apostar tripla à sexta e na segunda dizer… "eu não vos disse!"

    Ainda assim, aprecio as vossas análises.

  2. Sinceramente, muito verdinho. E isso é principalmente fatal tratando-se da liga portuguesa com todas as condicionantes aí envolvidas. Talvez daqui a uns 2 anos, após ganhar alguma experiência seja alguém.

  3. JP,

    Primeiro o Quique era o maior, pq introduziu pela 1a vez em mts anos, ideias interessantes (a zona defensiva). Antes de perder o 1º lugar, já era super criticado aqui (por não ocupar o espaço À frente dos centrais). Como poderás confirmar nas taggs.

    De JJ, as questoes com a liderança e comunicação continuam em aberto. Tacticamente sp foi o melhor.

    "Jesus bem merece melhor" foi escrito no dito post "Os entraves à sua ambição".

    O Lucky guess, refere-se ao perfil (alguém q priveligia a periodização táctica. Como Adriaanse…), n propriamente ao Villas Boas, q como é mtas x referido no post, é uma incognita. Tão ou mais difícil q ter boas ideias é torna-las operacionais… E isso, ele ainda tem de provar.

    Se houver mais dúvidas… sp q possível, ao dispor…

  4. Pois, parece que este texto teve alguma pontaria apesar do falhanço de Villas Boas.

    É que apesar de ter falhado a primeira tentativa, o Sporting manteve-se na rota da Periodização táctica. Se calhar era mesmo um requisito essencial…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*