Como Saviola desbloqueou um jogo que estava bem difícil

white corner field line on artificial green grass of soccer field
O propósito não é enaltecer a qualidade da assistência. De dificuldade bem menor que o gesto técnico de Carlos Martins no acto de remate, diga-se.
Antes, voltar a mencionar a excelência da inteligência da movimentação do argentino. É um hábito muito seu, procurar receber a bola, em apoio frontal, na zona entre o central e o lateral.
Mas afinal, que vantagem retira o Benfica da movimentação do seu avançado?

Quando Saviola recebe a bola naquela zona, há sempre uma indecisão no adversário sobre quem deve sair à bola? O central ou o lateral? Quando sai o lateral, abre imenso espaço no corredor lateral, onde Coentrão ou Maxi surgem com tempo e espaço para criar um lance potencialmente perigoso. Quando sai o defesa central, a tendência natural é procurar o outro avançado para tabelar. Quando a defesa adversária “fecha” bem o centro através do aproximar dos restantes três defesas (laterais e central que ficou) acaba sempre por ceder demasiado espaço no lado exterior.

A solução defensiva para tal situação passará pelo recuar do médio defensivo para a linha defensiva. Com quatro jogadores na última linha, é possível cobrir toda a zona defensiva com maior largura. Porém, quase nenhuma equipa em Portugal opta por o fazer.

Quanto do golo há da decisão de Saviola em receber a bola naquele espaço (que lhe permitiu ter uns segundos para enquadrar com a baliza, enquanto o central não chegava, e que permitiu abrir mais espaço sobre o exterior da defensiva bracarense)? No minímo tanto quanto o que valorizou no remate e na assistência. Sem aquela decisão, nada se teria feito.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3761 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

15 Comentários

  1. "Porém, quase nenhuma equipa em Portugal opta por o fazer."

    Podias dizer quais são as que fazem, ou quais são os treinadores que optam por esta forma de defender. 🙂

  2. É verdade que o Saviola foi muito importante e é verdade que é um jogador importantíssimo nas movimentações da equipa.

    No entanto, HONRA seja feita a quem marcou… porque o futebol decide-se com golos, e por mais que se diga que era fácil marcar aquele golo, não era… o Saviola falhou um golo muito mais fácil, rematando por cima, e já na primeira parte tinha falhado outro por rematar à figura.

    Grande Carlos Martins, sempre ameaçador e muitas vezes concretizador em momentos decisivos.

  3. Foi um grande golo. Mas concordo que o passe do Saviola foi magnifico. Sem tirar mérito ao Tacuara muito do sucesso dele na época passada deveu-se a este jogador fantástico. (Ok, o Di Maria tb contribuiu).

    SAUDAÇÕES GLORIOSAS

  4. Muito bem analisado, Saviola leu a jogada soberbamente, genialmente. Faltam adjectivos.

    Mas…

    não consigo compreender como é que, e falo fora desta jogada, se pode classificar a exibição de Saviola como positiva. Este mal, perdeu a bola várias vezes, está mais lento a correr e mais previsível a executar. O que se passa com o Saviola da época passada?

  5. É verdade JNF, ele n teve bem no resto do jogo. Mas pode a qq momento ser decisivo (Curioso, se o golo n surge naquele momento… ele iria sair e sabe-se lá se aconteceria mais tarde…)

    que forum??

  6. Já na madeira tinha feito uma assistência de um lado ao outro do campo para descobrir o Coentrão para o golo da vitória.
    Saviola tem mesmo uma inteligência muito acima da média para um jogador de futebol.
    Mas muito mérito também para Jesus, que consegue explorar ao máximo a inteligência do seu jogador.
    Foi pena termos falhado a goleada, pois os aprendizes de corruptos merecem é ser enxovalhados.

  7. Todos os jornalistas crucificam no lance do golo a acção do lateral esquerdo bracarense. Já vi e revi o lance. Fácil a conclusão : os homens não percebem nada do jogo . Pena é que, por isso, tracem imagens erradas dos desempenhos dos jogadores, que no seio dos adeptos vão valer como verdades absolutas, ateando assim as fogueiras onde muitos deles vão "morrer".

  8. Boas. Há aqui uma ressalva a fazer. O futebol, como o PB já disse várias vezes, é um todo. E o todo pressupõe que aquando da tomada de decisão de cada um no seu momento, este tome a decisão correcta. O passe é belíssimo, Saviola é uma honra a jogar no meu clube, mas a finalização é também ela excelente. Se é um todo não se pode tirar mérito ao Martins, por vários motivos, seja porque o defesa estava onde devia, seja porque é de difícil execução, ainda por cima de pé esquerdo para um «direito»… Bom, há mérito aqui também, certo, mesmo que noutras ocasiões Martins possa decidir errado. Já agora, até porque Bento o levou à Selecção, já têm (tens PB) uma melhor opinião dele, ou ainda é basicametne a mesma coisa?

    Abraço

    Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

    Bimbosfera.blogspot.com

    P.s.- Ainda acho que o melhor Saviola ainda está estarrecido a festejar no Marquês, ehehehhe! Quando acabar os festejos o DO ANO PASSADO volta! Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*