82 minutos a ver Daniel Wass

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Pouquíssimo tempo de observação. Ainda para mais em contexto totalmente oposto ao que encontrará em Portugal. 
Na primeira jornada do Europeu Sub-21, o jovem lateral direito do SL Benfica ocupou o lado direito do meio campo dinamarquês durante quase toda a totalidade da partida. Outros escassos minutos foram passados no corredor esquerdo.
Se a sua colocação num sector mais adiantado poderia indiciar um nível de criatividade mais elevado que o de um comum lateral da Dinamarca, tal não foi passível de ser confirmado no tempo que Wass esteve em campo. 
A maturidade talvez tenha sido o principal indício positivo a reter. Ao longo do tempo de jogo, pareceu sempre que Daniel Wass, percepcionando aquelas que poderão ser as suas limitações (criatividade e capacidade para desequilibrar individualmente, pelo drible), não se expôs em demasia. Jogou sempre de forma simples. Impressionou a forma como não perdeu por uma única vez a posse de bola, mas tal não pode ser dissociado da sua opção demasiadas vezes ser pouco ofensiva.
Em suma, louve a forma simples como decide, mas duvide da ausência de criatividade. Se é verdade que não primar por tal característica não é necessariamente um handicap, muito menos para um defesa, também não é menos verdade que os criativos são melhores que os que não o são.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3333 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

5 Comentários

  1. Pela maturidade que aparenta, tem tudo para de inicio "aprender" muito com Maxi.
    Claro que o lugar é do uruguaio, mas de certeza que Wass vai crescer muito e vai ser bastante útil.

  2. Penso que será o Carole da direita. Se tiver o potencial do francês (aparentando desde já que sim) então, louve-se a contratação.

    O grande problema é a gestão que se faz destes jogadores. Colocá-los em campo com todos os outros suplentes não pode ser boa ideia. Defendo uma rotação contínua como por exemplo:
    SEMANA 1: Maxi, Luisão, Jardel (?), Carole.
    SEMANA 2: Maxi, Luisão, Jardel (?), Titular.
    SEMANA 3: Wass, Luisão, Jardel (?), Titular.
    E a quarta seria igual à primeira bem como a quinta à segunda e a sexta à terceira.

    Salvo, claro está, jogos de risco muito elevado.

  3. EK, ele não jogou como lateral direito, mas não me pareceu ter capacidade para ser titular no Benfica (pelo menos no imediato). Tal como o Carole.

  4. Sim PB, jogou a médio. No entanto é um lateral. Pelo menos tenho essa ideia.

    Não tem, de todo, condição para ser titular no Benfica. Mas a integração, a ser feita, defendo que seja nos moldes acima descritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*