Organização ofensiva. Baixar para receber e paciência. Muita paciência.

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Anatomia do primeiro golo do Benfica na Madeira.
Artur defende um remate de Rondón, e a TV mostra-nos a repetição. Terminada a repetição do lance:
– Witsel baixa, recebe, é apertado, não consegue enquadrar, entrega em Jardel e sobe novamente;
– Aimar baixa, recebe. Pressionado não consegue enquadrar, devolve a Jardel e sobe;
– Jardel dá em Luisão;
– Luisao levanta a cabeça, procura opções mais ofensivas. Não há, devolve em Jardel;
– Jardel procura alguém que baixe. Ninguém o faz, devolve a Luisão;
– Witsel baixa, recebe de Luisão e enquadra, com espaço livre conduz a bola até próximo do defesa adversário fixando-o, e entrega em Gaitán que fica com espaço, muito pela acção de Witsel que atacou o defesa que teria de sair ao argentino, obrigando-o a sair a si;
– Cruzamento do argentino e golo de Cardozo.
Nem só a qualidade individual expressa nas competências técnicas determina o sucesso/insucesso das acções de uma equipa. Perceber a paciência que é preciso ter com a bola quando o adversário está organizado, e preparar movimentos de “abaixamento” dos centrocampistas para receberem a bola e darem continuidade à saída para o ataque é decisivo para quem pretende ter um jogar inteligente.
Saber esperar é uma virtude, dizem. E no futebol, claramente que compensa saber discernir os momentos em que se deve ou não investir de forma mais ou menos veemente ou veloz, nas acções que se tomam. Forçar sistematicamente o ataque, mesmo quando condenado ao insucesso só retirará qualidade e possibilidade de êxito ao jogo ofensivo da equipa. Tivesse Aimar, ou Witsel forçado o enquadramento quando pressionados e provavelmente teria havido uma perda de bola, que inviabilizaria tudo o que sucedeu após. E é também por isso, que a assistência de Gaitán, tem o valor que tem. Que ainda que seja muito, e mesmo que registado estatisticamente, não teve uma importância superior à participação de Aimar e, muito menos à de Witsel em toda a jogada.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3402 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*