Capel versus Carrillo

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Diego Capel é um jogador entusiasmante. Um agitador. As suas arrancadas, a forma rápida como conduz a bola contagia os adeptos e os próprios colegas. É e será um jogador importante em determinados momentos, de determinados jogos. Os seus impulsos já ajudaram a desbloquear jogos, e continuarão a ajudar. É, todavia, também um jogador com acções muito desadequadas, que por vezes prejudicam a fluência do jogo ofensivo leonino. Não faz sentido vê-lo, que nem miúdo de sete anos, a correr com a bola de corredor lateral a corredor lateral, passando por cima dos colegas de equipa, e permitindo o reajustar das defensivas contrárias. Independentemente do momento do jogo, a sua opção passa por transportar a bola. E se nas transições toda aquela velocidade, mesmo que por vezes direccionada para o sentido errado (fuga da baliza), é uma mais valia, nos momentos em que o adversário está organizado o jogo de Capel chega a ser prejudicial ao Sporting.
Já Carrillo é jogador dos pés à cabeça. Sabe jogar em todos os momentos. Talvez precisemos de vê-lo jogar vários jogos consecutivos para perceber a sua regularidade. Talvez as possíveis dúvidas que possamos ter sobre a tal regularidade derivem apenas de um preconceito para com a sua juventude. Porém, as suas exibições, mesmo que em curtos espaços temporais são verdadeiramente entusiasmantes. O miúdo sabe passar, sabe quando passar, sabe desequilibrar e quando o fazer, sabe tabelar, sabe jogar fácil e sabe progredir quando a situação o impõe. Sabe quando procurar o espaço ou o pé dos colegas. É muito veloz, e com imensa qualidade técnica. É certo que se tivesse outra nacionalidade já hoje se falariam em imensos milhões de euros. Na verdade, um talento deste nível, nunca custaria ao Sporting menos de quinze vezes o valor que efectivamente custou, se tivesse vindo do Brasil.
À atenção dos tubarões europeus. O miúdo tem pouco estatuto e eventualmente, pouco valor monetário. É agir rápido, porque mais tarde, quintuplicará o valor da transacção. É pós Nani a grande figura a crescer em Alvalade.
P.S.- Quando daqui por um mês o Sporting visitar o Estádio da Luz, queira Jorge Jesus persistir na sua desequilibrada táctica, e queira Domingos insistir no peruano, e quem sabe se com toda aquela velocidade e capacidade para definir os lances, Carrillo não obtém então o reconhecimento que o seu potencial indicia. O miúdo não engana.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3042 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*