Com este, eu vou a tudo!

Para quem nos lê, não são estranhos os elogios a Montero. É um jogador que muito aprecio. De grande qualidade técnica, e sobretudo de muita inteligência. É um jogador de futebol, como eu gosto que os jogadores sejam. Joga com a cabeça, e tem capacidade para executar com os pés. É um tipo que a cada acção aproxima a equipa do êxito. Depois de a bola passar por ele, fica a certeza de que a equipa está em melhores condições para continuar o ataque. Com espaço, ou sem espaço, percebe com uma facilidade incrível o melhor caminho a seguir. Executa de acordo com a velocidade que o contexto pede, e com a qualidade dos grandes. É criativo! Oh, e como eu adoro jogadores que me ensinam novos caminhos, novas soluções, para o jogo. Com Montero eu aprendo. Mas sei que com ele tudo precisa de estar como ele gosta para conseguir jogar, e para me dar tudo o que pode dar. A equipa, o colega, o adversário, o jogo, tem de ser do seu agrado para conseguir render. Diga-se que o são na maior parte das vezes. Sei também que, necessita da protecção do treinador e com isso da confiança dos colegas, com o tempo do carinho dos adeptos. Coisa que no Sporting nenhum treinador lhe deu. Tranquilidade para continuar a jogar, ainda que não marque golos.
E há Jackson. É inteligente, mas não tão criativo. É forte mentalmente, independente. A qualidade técnica não é superior a do compatriota, sendo no máximo igual. As qualidades físicas, essas sim, bastante superiores a todos os níveis. Cada bola que recebe terá seguimento, porque ele percebe o jogo como ele é: colectivo. Sabe relacionar-se com os colegas sem bola, procurando apoios e rupturas. É um jogador que não dá uma bola como perdida, não se poupa a esforços para ajudar a equipa no seu objectivo: marcar ou não sofrer. Se tiver que fazer oitenta metros para cortar uma transição ofensiva do adversário assim o faz, se tiver que pressionar à toda largura não descansa até o jogo acabar. É feroz a atacar zonas de finalização, e muito inteligente na forma como se procura posicionar nesses momentos. É um jogador de futebol como eu gosto que os jogadores sejam. Agressivo. Joga para o treinador, para os colegas, para a equipa. É um jogador que não tem tanta capacidade de inventar soluções novas, mas que joga todo o tipo de jogos. Não há condições ideais para ele estar em campo, porque seja qual for o jogo, a disposição dos colegas, o ímpeto do adversário, ele está lá sempre. Se o adversário for pressionante ele tem capacidade para segurar e dar tempo para que os colegas cheguem. Não se esconde, entrega com qualidade. Se o jogo estiver muito dividido, em duelos, com disputas de primeiras e segundas bolas ele impõe-se. No caso de os colegas o procurarem no espaço ele aparece, caso os colegas o procurem em apoio ele mostra-se. Quando o jogo segue pelo corredor lateral ele ataca a finalização como poucos, quando a bola entra pelo corredor central ele procura e cria espaços com lógica.

Se tiver de escolher, escolho Jackson. Porque seja qual for a situação ele estará lá sempre. Morre por mim, vai comigo a tudo!

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3158 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*