Top 3 para um Feliz Natal

Não será referido o espaço de onde foram retirados os textos porque importa descontrair e rir um pouco com os textos, e não com os seus autores. Os três estão pela blogosfera e têm imensa piada. Valem por si.

3º lugar. “O mito Nani”

“Chega. O nível dos jogadores portugueses decresce cada vez mais e valoriza-se em demasia certos jogadores pelo que em tempos fizeram ou pela atenção que lhes é despendida pela comunicação social. Os últimos 2 anos de Nani em Manchester e o facto de quase nunca ser utilizado não acontece por acaso.

É pela fraca utilidade actual do jogador face ao que já fez no passado. Nani estagnou como jogador e adoptou vícios que o tornaram pior jogador. Não compreende o jogo, pensa mal e sobretudo executa quase sempre mal. É um jogador demasiado inconsequente, sem critério nas suas acções, pouco regular e que tem uma taxa de sucesso dos seus lances a rondar o horrivelmente.

Nani deixou de ser o jogador que era e é necessário alguém o apontar de forma assertiva. O futebol não é fazer umas fintas e dar uns toques giros na bola. Nani mesmo a nível técnico demonstra limitações grandes sobretudo ao nível do cruzamento, situação que explora muito no seu jogo. Dos imensos que tira, poucos são aproveitados não só por não haver quem os finalize, mas essencialmente porque despejar bolas para a área é diferente de encontrar a melhor situação para permitir finalização a um colega.”

O texto dispensa comentários. Ainda hoje creio que o autor com a carraspana que estava enquanto via futebol e escrevia, confundiu Tiago com Nani. Afinal o primeiro também esteve no United. Tudo o que não seja essa confusão deveria dar direito a que se cortasse os dedinhos do autor para que por amor de Deus não voltasse a escrever.


2º lugar. “Criei um cálculo que permite graduar a decisão”

“No entanto para graduar a decisão, importa também ter em mente, a contribuição que esse lance terá para o sucesso da equipa (marcar ou evitar um golo). A decisão tanto melhor será quanto mais contribua para o sucesso da equipa.
Criei um cálculo que permite graduar a decisão e que se explica através da seguinte fórmula (fácil de colocar no papel mas difícil de determinar em cada lance específico):
Probabilidade de execução bem-sucedida (de 0 a 10) X Taxa de contribuição para o sucesso (de 0 a 10)
O melhor resultado final será o 100 (10X10). O 100 significa a certeza absoluta que a execução pensada será bem sucedida e que a mesma contribui totalmente para o sucesso (por ex., marcar um golo com um pequeno toque quando a bola já está 99% dentro da baliza adversária e não há qualquer oposição). Quanto maior é o algarismo (onde 0 é o valor mínimo e 100 o valor máximo) melhor será a decisão.”
A banha da cobra em forma de texto. O autor convive diariamente com o Professor Bambo e vai dai, inspirado resolveu criar fórmulas mágicas. Não se sabe se o Bhaskara português vai enriquecer com tão brilhante ideia. Pelo sim pelo não era ir a correr registar a patente. Duvido que não apareça gente ansiosa para roubar a ideia…
1º lugar. “Porque é fácil ganhar no Dragão”
“Porque se apostou num treinador que cresceu no futebol amador, ambiente perfeito para se forjar o aspeto romântico da decisão, que é naturalmente vergado face à dura realidade do futebol profissional. Formar um plantel e um onze a partir de uma matriz obcecada com os aspetos decisórios, cede perante o realismo dos mais pragmáticos.”
Romantismo no futebol amador tem de ter um óbvio destaque no primeiro lugar da tabela. Ah como são romanticos os duelos entre o Águias de Camarate contra o Recreativo da Musgueira. Ali, bola no chão. Tomada de decisão ao rubro. Bom e “rendilhado” futebol. Quem não dispensa um bom jogo de futebol amador todo ele à base da tomada de decisão e do romantismo, em detrimento de um super físico e de dura realidade Real Madrid x Barcelona. Esse malandro do Lopetegui que perdeu com Sporting e Benfica porque é um romântico. Para a segunda volta Lopetegui, é ir contratar mais nove Herreras ou Indis que isso é gente pronta para a dureza da realidade do futebol profissional. 
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3251 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*