Henry sobre a importância do primeiro passe, de cada passe.

Discussão sobre a saída de bola de dois jogadores que foram educados de forma completamente diferente. Duas formas diferentes de ver o jogo, que causa a diferença de opinião e a defesa de cada dos pontos de vista o melhor que se sabe. Henry a mostrar conhecimento, e sobretudo a percepção do efeito que pode ter um defesa central (em zonas recuadas) enfrentar um avançado e tentar sair com ela controlada, no lugar do tradicional bater sem critério na frente.

O que Carragher não percebe: 
– Se bates a bola não é de ninguém. Obrigas o teu colega a lutar por uma bola que quando saiu dos teus pés era vossa.
– Se enfrentas o avançado com sucesso, ultrapassando aquela linha, terá de sair alguém da linha média, ganhando-se espaço e tempo para um dos médios da tua equipa.
– Por vezes nem precisas de o enfrentar. Atacas o espaço e o efeito é o mesmo. Ultrapassas a primeira linha de pressão e ganhas tempo e espaço para algum colega mais adiantado.
Carragher tem mais medo de perder a bola do que coragem para a manter.
O que Henry percebe:
– Se essa primeira linha for ultrapassada ficarão menos jogadores para quem receber a bola enfrentar.
– Sabe que, por ter jogado na frente, cada bola lançada sem critério é mais difícil de ganhar.
No fundo, Henry percebe que não só ele receberá a bola em melhores condições (sem que se exija um duelo, ou um gesto técnico complicado), como também terá mais espaço e tempo para executar. Henry percebe que as acções de jogo estão todas ligadas umas com as outras, e o que cada acção resulta numa situação mais ou menos favorável, de maior ou menor complexidade, para resolver. Henry, como inteligente que sempre foi, percebe que o primeiro passe é fundamental para criar as condições necessárias para que o último seja melhor executado. E por isso, Henry, encorajaria o seu central a sair com bola – a enfrentar o avançado, ou o espaço – caso estejam reunidas as condições para tal.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3047 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*