O azar e a sorte no jogo. O colapso, não apenas mental do Chelsea.

São por vezes lances fortuítos que determinam resultados. Contudo, a velha máxima “dá muito trabalho ter sorte” deve estar sempre presente. e Mesmo nos dias infelizes do ponto de vista individual, há que procurar virtudes e defeitos no jogar colectivo.
Estará sempre menos susceptível aos “azares” quem está melhor organizado. Seja ofensivamente ou defensivamente. 
Defensivamente estará sempre mais longe de consentir a criação e finalização adversária quem demonstrar competência no encurtamento dos espaços. Em largura, onde é mais fácil bascular sem se “ser ferido” e em profundidade. Conceito que requer sempre maior coragem e excelência para que o estar junto não signifique estar perto de permitir rupturas adversárias.
O golo do empate do Southampton não demonstra uma equipa mentalmente colapsada. Pelo menos não tanto quanto uma equipa incapaz de ser eficiente na ocupação dos espaços no momento defensivo. 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3011 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*