Fiel aos seus princípios?!

Pep Guardiola insists he’s ‘not a coach for tackles’ after shambolic defeat

“The former Barcelona manager refused to compromise his style after seeing his side go down at the King Power”

Este é o principal debate acerca do treinador do Manchester City quando os resultados não são os mais desejados…..

Depois da derrota em Leicester e das criticas, um dos melhores do mundo vem a terreno defender  a sua filosofia, mas até quando?! até porque os resultados ditam o sucesso de uma equipa muitas mais que o futebol jogado quando não surgem os tais resultados.

Para alguns o mais importante gesto “técnico”  no futebol em Inglaterra é o “tackling”- gesto “técnico” que apaixona os ingleses. Faz parte de uma cultura de longa data.

Eu que nasci e cresci num seio onde as ” cuecas”,” ratas” eram celebradas por vezes com mais entusiasmo que os proprios golos. Onde os “cabritos” levavam a plateia ao delírio, agora imagine o mesmo efeito em relação a um “tackle”?!

Mas mais que um treinador ser fiel aos seus princípios e filosofia, o que fazer em termos de adaptação a uma nova realidade? a um novo contexto? a um novo desafio?

Os melhores, esses aprendem, evoluem, arriscam, são híbridos de metodologias que sejam adequadas ao futebol pretendido e insaciáveis em busca da vitoria!

A ver vamos como Guardiola sairá deste contexto, deste desafio! Quem venceu a Premiership o ano passado não ficou recordado pelo seu perfume do seu futebol, mas sim por ter conseguido mais pontos que todas as outras equipas. Que caminho seguirá Pep?

Ps- Ainda em termos de ideologias e de filosofias, veremos como será que Antonio Conte e o Chelsea acabam a presente temporada, até porque até a este preciso momento ninguém venceu a Premiership a jogar com  um sistema de 3 Defesas- Se bem que, o Chelsea não joga com “3 at the back” como afirmam os ingleses.

tackling

Luís Nuno
Sobre Luís Nuno 5 artigos
Co fundador do "Lateral Esquerdo", licenciado em Desporto. Ex jogador da formação do SL Benfica e Sporting CP, tem o curso de treinador Uefa A, e é actualmente treinador de futebol numa Academia em Inglaterra.

4 Comentários

  1. A questão é que Guardiola nao quer as suas equipas a praticar aquele futebol por ser bonito, ele quer porque acredita que é o que pode trazer mais resultados. Claro que esse futebol tem lacunas mas ele tbm pretende corrigir algumas dessas lacunas para que possa vingar em Inglaterra

    Bom futebol traz resultados nunca o contrario.

  2. principios?eu digo essência,nunca podemos renegar o que somos e de onde viemos,adaptar se com derrotas,moe,desgasta,mas cresces e mto…pep quis isto

  3. Esta é para mim das questões mais interessantes no futebol actual. Será possível que “jogar bem” se torna uma desvantagem simplesmente porque a maioria “joga mal”? Custa-me a acreditar. Basta ver que no mesmo ecossistema em que Guardiola está a falhar,Klopp,Conte e Pochentino estão a demonstrar resultados acima do que deles seria exigido.Tudo bem que não com as mesmas ideias mas com a mesma competência, e a procurar jogar a bola. Até Mourinho tem dado sinais de querer mais qualquer coisa para além da pobreza a que nos tem habituado.O problema de Guardiola parece-me estar a ser muito mais a dificuldade em operacionalizar do que propriamente as ideias não serem adequadas. Não tenho visto muitos jogos do City, mas ainda no último jogo com o Watford me pareceu que este City tem muito menos de Guardiola do que tinham Bayern e Barça. Demasiado jogo fora do bloco,a fase de criação a deixar muito a desejar,talvez porque a escolha de jogadores também não bate certo (Sterling o caso mais gritante).

    Por outro lado começa a ficar difícil justificar o sucesso de quem pouco procura jogar o jogo, assim como o insucesso de quem o faz com enorme competência (Portugal, Real, Leicester como exemplo dos primeiros; City, Dortmund, Sporting como exemplos dos segundos).As propostas de futebol mais ofensivas não estão a resultar: Se formos ver neste momentos os principais campeonatos e incluirmos o nosso os líderes têm todos uma proposta mais defensiva (e até menos competente em teoria) que os principais rivais:Chelsea>City;Bayern>Dortmund;Real>Barça;Benfica>Sporting.
    Parte justifica-se pela qualidade individual,mas será só isso? Ou estamos mesmo a entrar na era da organização defensiva?

  4. Pep tem um sonho lindo. Mas precisaria de muitos jogadores “especiais”, “super-inteligentes”. Não tendo, será “masoquismo” não ajustar (dentro do estilo). Acredito que o vá ter que fazer. Inevitavelmente. Caso contrário é teimosia cega.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*