O caminho que eles tão bem desenham

Não haverá imagens / videos mais interessantes que expliquem tão correctamente o caminho que se pretende ideal para lá chegar.

Crianças despreocupadas. A viverem, a sentirem o jogo. A adorarem o seu momento, com ou sem audiência. O prazer do jogo pelo jogo. O tempo de prática que se exponencia longe da intervenção coarctadora e castradora dos adultos. O carácter que se molda. Na felicidade de um jogo. Ou na frustração da paulada que o irmão mais velho teima em dar, sem que ninguém esteja a controlar. Como que apelando à superação porque nada é dado.

O futebol de crianças num video de felicidade conjunta por um golo.

Este é o jogo real. O que enquanto poderá contribuir para formar jogadores, formará pessoas. Longe da intervenção do adulto, sedento da vitória. Queremos um jogo de crianças para crianças, ou um jogo de crianças para adultos? Como se de um “freak show” se tratasse. Adultos ao redor de um campo para retirarem eles prazer ou frustração de algo, enquanto usam os pequeninos.

Quanto da habilidade motora de Thiago e Rafinha cresceu da prática não orientada? Das horas a fio com a bola nos pés. Sem limites. Experimentando. Errando, errando, errando. Sem amarras. Sem direcções obrigatórias.

Daniel Coyle no “Código do Talento” menciona a importância do experienciar, vivenciar e sobretudo errar para que se possa ficar realmente bom em alguma coisa.

Retirar a intervenção do adulto que não quer o “risco” enquanto pensa no resultado, esquecendo o processo, retirar a intervenção do pai que de fora sugere o caminho enquanto sem perceber coarcta o desenvolvimento, e limita o prazer, será sempre um passo dado no sentido da evolução.

Porque o melhor caminho mesmo quando o propósito é a formação de jogadores, é sempre o de deixar as crianças serem crianças. Sem prazer, sem erro, sem paixão, sem decisões para tomar, e sem caminhos no campo para seguir por opções próprias, mesmo que erradas, não estaremos a potenciar ao máximo o desenvolvimento motor, cognitivo e da personalidade.

Dê-lhes a bola. Sem medos.

 

Sobre Paolo Maldini 3804 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*