E se o maior responsável pelo condenar do contra ataque não tivesse sido Salvio?

Benfica's Argentinian striker Eduardo Salvio celebrates scoring their late equalizer during the UEFA Europa League quarter-final second leg football match between Newcastle United and Benfica at St James' Park in Newcastle, northeast England on April 11, 2013. The game finished 1-1, Benfica going through 4-2 on aggregate. AFP PHOTO/IAN MACNICOL

Correu as redes sociais o lance em que numa situação de incrível superioridade numérica, o extremo argentino finaliza meio desenquadrado e com o pé não dominante. Salvio, o tipo de extremo que faz das suas características condicionais e da qualidade técnica o centro do seu jogo. Constantes acelerações e demasiadas vezes a optar pelo que lhe garante maior notoriedade em detrimento do que mais aproxima a equipa do golo. Ao contrário, por exemplo, do que terá feito Carrillo no lance do golo do SL Benfica em Santa Maria da Feira.

No lance em questão, porém, o extremo argentino, não tendo definido a preceito, acaba por ver dois colegas terem um papel muito mais decisivo para o não sucesso da jogada. Ainda que tenha aparentemente “arcado” com toda a responsabilidade do lance, ao “olhar” da opinião pública.

O primeiro erro que reduz possibilidades, é técnico e é de Zivkovic, que por adiantar em demasia a bola perde qualidade para definir com assertividade. Consegue definir no timing ideal, mas não da forma ideal. Poderia ter colocado em Pizzi para 1×0, mas passe sai para trás do local devido e para Salvio. E a pior decisão que acaba por condenar todo o lance, é a de Pizzi. Que estando no movimento correcto, à esquerda do portador, a quem bastaria fixar oposição que tapava meio, para tocar no transmontano e provocar situação de 3×0 na área adversária (Pizzi a receber e Mitroglou e Carrillo a chegar).

Optou mal Pizzi ao sair da linha de passe que traria imprevisibilidade ao lance e reduziu bastante as possibilidades (que eram quase máximas! se tudo bem desenhado) de o ataque terminar no fundo da baliza. Só com opções à sua direita, mais fácil tapar linhas de passe.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3767 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

20 Comentários

  1. Acho que podemos ver o lance de diversas formas, até porque se o pizzi dá linha de passe à esquerda teria de parar, devido ao posicionamento do jogador do Feirense, e o pizzi para dar continuidade à corrida vindo de trás desmarcou nas costas do salvio, depois o salvio se desse a bola ao pizzi teria todas as condições para entrar para a baliza ou dar à dta ou esq…Até porque o jogador do feirense ja ficava de costas…Salvio optou por fazer uma tesoura e fintar o defesa…e depois do 1º toque ele demora uma eternidade até dar o 2º nao conduzindo sequer a bola, ou atraindo sequer o defesa… Mas posso estar errado :s

  2. Apesar de concordar que o Pizzi podia ter dado a linha por fora, isso não implica que o Savio lhe fosse passar, e mesmo tendo ido para o meio, não fechou a linha de passe, basta ver que no momento em que marcas a linha para o Mitroglou o passe para o Pizzi está bem aberto e fácil

  3. Discordo um pouco da análise. A mim parece-me que a decisão do Zivkovic não acaba por ser pior que a sugerida, visto que continuou a ser uma situação de 4 pa 1 com com tempo mais que suficiente para fazer golo. Acertou no timing e isso parece-me que era o mais importante.
    A decisão do Pizzi de ir para o meio, e aqui é que estou mais em desacordo, parece-me que é mais precipitada pelo Salvio visto que este opta por não encarar o defesa e fixá-lo, e foge logo para o flanco do Pizzi (exactamente no momento em que no vosso video vocês param a camara). Pizzi sentindo que o Salvio ia para o flanco decidiu ir dar aquele apoio no meio que facilitava a ligação com o Mitroglou e Carrillo.
    Pizzi também pode ter decidido dessa maneira por ser destro e o Salvio Esquerdino e achou que o Salvio se ficasse com o flanco teria mais facilidade em passar para o Mitroglou/Carrillo.
    De qualquer das maneiras, e as vossas criticas ao Pizzi neste caso fazem todo o sentido, o Salvio continua-me a parecer o principal culpado.

    Cumprimentos

  4. Na minha opinião, o Sálvio podia, e devia, ter dado o segundo toque na bola para dentro, orientava o corpo para fazer o passe e colocaria a bola no Mitroglou. Além de ser “fácil” para um jogador do nível do Sálvio era a opção mais simples para finalizar.

  5. Não me lixes, podia tocar curto no pizzi pela esquerda ou tentar o centro para o mitro antes de fazer aquela pedalada aos 18 segundos para se enquadrar. Essa pedalada é que fez o pizzi mudar de direcção. À pala deste lance ia partindo a televisão, que ódio com que lhe fiquei, ia para o banco até ao fim da época.

  6. Concordo c vcs tds! Ng esta a isentar o Salvio. Devia ter trazido um metro p dentro.. mas tendo o pizzi à sua esq ate consigo perceber pq n o fez… bastaria fixar defesa tocar pizzi e 3×0! Talvez tenha optado mal a condução pq tinha pizzi la e nc ng iria adivinhar o maior disparate de td o lance… q é do pizzi! ( sim, claro q abrandava p n ficar fdj. . Mas e entao? Continuavs orientado p baliza e defesa orientado p outro lado… daria sp o 3×0 depois de salvio fixar defesa)

    • «bastaria fixar defesa tocar pizzi e 3×0» – Ainda bem que te penitencias sozinho! 😉

      Não sei se há uma gradação asneirice num lances, mas a verdade é que o Sálvio é isto mesmo, face a uma escolha ir sempre pela pior. Face ao que o Pizzi não faz Sálvio mesmo assim escolhe a pior opção. E sabe-o ele como sabemos todos nós que o esquerdo é o pior dos pés, logo aquele com que terá menos força e/ou capacidade de colocação.

      Ou recuando no lance, se calhar até se podia ter dito que, em vez de querer fazer tudo sozinho, podia ter adiantado (um toque bastava) para o Pizzi, que seguiria pelo meio, e dar a opção exterior. E aí voltávamos ao típico afunilamento do argentino…

  7. Completamente de acordo com o Ricardo. Quem jogou sabe que muitas vezes define em função do portador. Se Salvio conduzisse para o meio abria o espaço para Pizzi. Hesita com a bola e provoca a má opção de Pizzi, mas este para fugir à esquerda provavelmente achou que ia lateralizar muito.

  8. Pois, mas foi mesmo culpa do Salvio. Sorry. Aquela pedalada, o desejo pela notoriedade e pela brutalidade e o facto de não atacar/provocar o adversário para soltar num 2xGR é que provocaram a cegueira.

    Depois podemos discutir outras coisas, tipo se a chuva acelerou demais a bola, se o relvado esteve mais alto, se o Zivkovic poderia ter feito melhor. Mas a jogada era demasiado simples para um ego do tamanho da Argentina. Este é que é o ponto essencial.

    Quando a bola entra no Salvio até o próprio Pizzi começa logo a pensar de que forma se ajudam os burros.

    O RV se não se põe a pau é nestas coisinhas que começa a cavar a saída do Benfica. Porque ninguém compreende – imagino que no balneário então seja motivo de desagrado – que depois destas parvoíces todas seja o Carrillo a sair do jogo. Logo aquele que mais trabalhou, desta vez, em função dos colegas e da equipa, ainda por cima com categoria.

    Veremos o que sucede quarta-feira.

  9. Concordo com a análise. A jogada ideal era Pizzi pela esquerda, bola nele e passe no meio para o Mitro ou Carrillo. Essa era a ideal mas, o jogo é uma constante tomada de decisões e consequentes reajustes e, devido à decisão de Pizzi ir para o meio o Salvio não toma a melhor decisão para a jogada ter sucesso. Poderia ter ido para dentro e, passar ao Mitro ou, tocar atrás no Pizzi e, este tocar no Mitro ou no Carrillo. Mas, tendo em conta o historial do Sálvio, a opção pelo remate era previsível e, penso até, que mesmo que o Pizzi tivesse ido pela esquerda, o Sálvio optaria pelo remate.

  10. Mas foi, o maior responsável por este inacreditável falhanço foi mesmo o Sálvio. O Zivkovic, mesmo tendo adiantado ligeiramente a bola, transformou o 5 para 2 em 4 para 1. A partir daqui o Sálvio transformou o 4 para 1 num 1 para 1. Não há desculpa para esta tomada de decisão, que ainda foi pior porque foi “puxada” para o pé esquerdo.

  11. O Pizzi dá uma linha de passe na esquerda num primeiro momento. Entretanto o Tótó não lhe mete a bola e ele vê que estão a atacar 4×1+GR; é então que decide mostrar ao Tótó que tem que meter a bola no meio porque estão dois colegas isolados frente ao GR – daí dar cobertura ofensiva que lhe permitia virar o jogo de primeira para os 2 isolados caso o Tótó lhe passe a bola (a bola não conseguindo entrar no Mitro, tem que entrar no Pizzi que facilmente tocaria no Mitro de 1ª…). 4×1+GR e meter a bola num corredor lateral é uma opção parva e acho que é isso que o Pizzi tenta dar a entender… fazer o que o Tótó fez é parvo e Tótó…Salve-o (Sálvio) Deus Nosso Senhor porque a falta de neurónios é um mal ao qual o Tótó parece condenado…

  12. Já não comentava aqui há algum tempo, um bem haja a todos.

    Acho que é de facto um lance que se pode analisar de várias formas, na minha opinião o Pizzi poderia ter dado linha em profundidade à esquerda… mas ele é esse tipo de jogador? Explosivo sem bola a ponto de conseguir dar boa linha neste lance? Se fosse um Cervi no lugar de Pizzi provavelmente era isso que teria acontecido, bola na esquerda, Cervi mete no meio ou remata, golo. Portanto, Pizzi não sendo esse tipo de jogador rápido, optou por tentar atrair o defesa e dar o lado esquerdo a Salvio (apesar de ter tornado as coisas mais óbvias para o defesa do Feirense). A meu ver quando o Pizzi corta para o meio o Salvio tem também uma boa hipótese de lhe meter a bola em passe curto, que lhe deixaria praticamente isolado (então e porque não no Mitroglu? Porque o ângulo de passe para o Pizzi tinha uma probabilidade muito maior de êxito).

    Cumps

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*