A bola é tudo. Verratti.

Não importa a posição. Hoje o jogo não se parte nos que atacam ou defendem. Todos devem ser capazes de cumprir o que jogo dá a cada instante. E se até são os jogadores das posições mais recuadas, os que mais vezes e mais tempo têm a bola nos pés, já não há como não entender o protótipo do que é mais importante num jogador de futebol. Independentemente da posição que se ocupa, a relação com bola e a tomada de decisão é o que diferencia os bons dos melhores.

Nas grandes equipas europeias, mesmo nos jogadores mais defensivos, não chega estar apto a roubar bolas. Há que ter a qualidade para nos momentos seguintes ligar o jogo. Seja acelerando-o com qualidade se há espaço para sair na transição para ataque rápido, ou pausando-o se se percebe que não há desorganização ou desequilíbrio no outro lado.

Uma equipa com onze Verratis faria correr eternamente o adversário.

P.S.  – Agradecimento muito grande a todos os que já se juntaram a nós no Patreon. Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, é passar por lá. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com.

PS II – Informação: 
2a Edição da Formação Sportrail. Comigo. “Modelo de jogo e opções de planeamento”. Creditada. 27 de Março das 20 às 23h.

Com debate no final para troca de ideias. AQUI.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3767 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

2 Comentários

  1. É o problema do Fejsa. Defendo que se deveria apostar desde já no Pedro Rodrigues. Tem qualidade de posicionamento, conhece o jogo e tem capacidade para jogar de várias formas. Gosta de ter a bola, coisa que desde logo assusta o Fejsa. Para o Benfica é preciso outras qualidades que não apenas um bom jogo posicional e alta agressividade.

    • Obrigado Maldini, pela belíssima argumentação…futebol “moderno”, que provavelmente vai beber à história do futebol “antigo”, grande legado do Barça de Guardiola, e nós adeptos do futebol, agradeçemos…e agora, é sempre a evoluir, mas as referências vão ser outras, a inteligência sobre a táctica, a técnica sobre o fisico, a decisão sobre a velocidade…o jogador, o centro do jogo, onde tudo o resto gira à sua volta….
      Edson, Fejsa, a minha grande “guerra” com os meus amigos benfiquistas, eu pergunto, e porque não o Horta?
      P.s. Tenho saudades da foto com os 11 Maradonas, a melhor metáfora ao futebol “moderno” ou a melhor imagem para definir a “minha/nossa” utopia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*