O 3-4-3 do FC Barcelona

Há já algum tempo que o Barcelona alterou a sua estrutura tática. Os resultados intermitentes, provenientes de um futebol muito menos ligado e pausado, levaram a uma mudança que vai dando uma nova alma à equipa catalã.

Luis Enrique alterou os posicionamentos iniciais e dispôs o seu Barcelona num 3-4-3, no momento de organização ofensiva. No jogo frente ao Sevilha, pudemos observar uma equipa móvel, dominadora e extremamente agressiva em transição defensiva.

O Barcelona adotou uma saída a 3 que garante, desde a 1ª fase de construção, amplitude ao jogo ofensivo. No meio campo, surgiu um losango formado por Busquets, Iniesta, Rakitic e Messi. A projeção de Sergi Roberto, à direita, estabelece largura e profundidade ao corredor. Neymar, à esquerda, faz um papel semelhante, no momento ofensivo. Na frente de ataque, surgiu Suárez.

Foi interessante observar a mobilidade existente entre os jogadores que mais vezes oferecem largura e os médios interiores. Tanto Rakitic como Iniesta foram capazes de jogar por fora. Foram igualmente relevantes, os movimentos interiores de Neymar e Sergi Roberto. Messi, como seria expectável, apresentou um raio de ação enorme: baixando para criar, surgindo entre linhas ou mesmo em zonas de finalização.

Defensivamente, a postura agressiva com que pressionaram protegeu-os. Ainda assim, ficaram evidentes as limitações que surgem quando não têm bola. A equipa posicionou-se num 4-4-2 clássico, com Sergi Roberto a baixar para a linha defensiva. De forma a pressionar em profundidade, desdobraram-se num 4-4-2 com um maior número de linhas verticais.

Numa fase importante da época, esta evolução pode ser importantíssima para a conquista de títulos.

Bruno Fidalgo
Sobre Bruno Fidalgo 57 artigos
Licenciado em Ciências do Desporto. Criador e autor do blog Código Futebolístico. À função de treinador tem aliado alguns trabalhos como observador.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*