Isco, Kroos e Modric no caminho para Cardiff

Vendaval de futebol apoiado, e sustentado na qualidade suprema de Isco, Modric e Kroos, aos quais se juntam as ligações em apoio frontal de Benzema, o desequilibrador Marcelo e o finalizador Cristiano.

Mobilidade, linhas de passe ao portador pelo formar constante de losangos e triângulos ao seu redor, tomada de decisão soberba, e bola a rolar de pé para pé sem ser possível observar um erro que seja.

Pelas opções próprias em posse, quer na tomada de decisão que determina toque, toque, toque, quer no posicionamento que coloca muita gente a participar na saída da construção para a criação, mesmo quando perde a bola, há sempre gente próxima para assegurar transição defensiva, pressionando portador próximo, recuperar e voltar a monopolizar o jogo.

Inteligência e qualidade técnica elevadas ao expoente máximo a resgatarem um futebol encantador. Pela primeira vez desta a reformulação da Liga dos Campeões poderá haver um Bicampeão. Fantástica a forma como o jogo do Real está pensado e preparado para chegar consecutivamente às zonas de criação com portador sempre com condições óptimas para receber e poder a partir daí, então, desequilibrar no individual, depois dos colegas terem trabalhado para lhe conquistar espaço.

O regalo que é poder observar o carrossel merengue que esconde a bola como ninguém à espera do momento de libertar com espaço o momento de investir, não tem preço. Finalmente Isco, potencialmente um dos melhores jogadores da Europa a encontrar o seu espaço e desde logo a demonstrar o incrível jogador que é. Pela forma como provoca em condução, como enquadra, como decide!

O actual Real Madrid é a prova de que tomada de decisão em cima da qualidade técnica é o que mais importa no jogo moderno.

P.S.  – Agradecimento muito grande à mais de uma centena dos que já se juntaram a nós no Patreon. Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, e darem uma pequena ajuda para que possamos manter periodicidade das publicações é passar por lá. Agora também com acesso à drive do Lateral Esquerdo, onde partilhamos “influências”. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2924 artigos
Creator of the "Lateral Esquerdo", is also a teacher at the University Stadium in Lisbon. Soccer coach, having conquered several national titles in Portugal. Experience as soccer coordinator, and lecturer at various Sports Universities. Author of the book "Build a champion team" from the publisher PrimeBooks.

12 Comentários

  1. …e o Casemiro, aonde é que fica?….seria possivel este meio campo com o kovacic (creio que é assim que se escreve)?….me encanta o futebol do Real, mas foi uma evolução brutal….com direito a rotação….com o ganhar de UMA equipa….bravo Zizou!!!!

  2. Eu quando liguei a TV estava a acabar de entrar o 2-0. Nos 15 minutos seguintes nem conseguia acreditar como aquela equipa estava a perder! Que jogão. O atlético não a cheirava!! Até o Casemiro joga!! Finalmente há um real que dá gosto ver jogar…

  3. Sigo o blogue há algum tempo e desde já muitos parabéns, porque aqui sim, discute-se bola.
    O Isco é um grande jogador e tem de jogar no lugar do Bale para o Real atingir o seu nível máximo, mas há ali uma ou 2 coisas que não gosto nele. Reprare-se aos 2min do vídeo, ali a opção seria sempre meter em Marcelo que depois com 2 avançados na área seria muito provavelmente golo.
    Isto tudo para quÊ, costumo ver quase todos os jogos do Real e ele invariavelmente procura ser protagonista não dando a melhor definição em alguns lances em que vislumbra que mesmo não sendo a melhor opção poderá chamar para si os louros. A outra é o excessivo tempo que algumas vezes demora a largar a bola (veja-se ontem por ex o lance que conduz desde antes do meio campo e acaba por perder já em esforço num lance perigosíssimo).
    Relativamente a Casemiro, é o elemento estranho, mesmo tendo evoluído a nível de passe nota-se que ali um Kanté (pelo preço que foi ainda hj tento perceber como não está no Real) levaria aquele losango a outro nível. Contudo o posicionamento e evolução do Casemiro fazem dele um elemento muito importante, se bem que Kovacic me parece ter tudo para lhe passar à frente.

    Continuação deste excelente projecto!

    • Mas qual é a diferença entre o Kante e o Casemiro? Eu não vejo quase nenhumas, tirando as óbvias (características físicas, raça, por aí). Não entendo a paixão pelo Kanté, é mau jogador?, nada disso, é um óptimo jogador de futebol. Agora, tem dificuldades em quase tudo o que envolva a bola sobretudo na decisão e na execução. Tal e qual o Casemiro. Por exemplo, no Chelsea, Matic enquadrar-se-ia muito melhor com Kroos, Modric e Isco.

      • Não tendo visto jogos suficientes do Casemiro para saber se o homem evoluiu, acho o Kanté bem superior ofensivamente, não sendo um portento técnico, não sendo criativo, também não é tosco e não é estúpido nas decisões, joga simples é verdade mas não é mau, e depois é relativamente forte em condução.

        O Casemiro é dos piores 6’s que vi jogar do ponto vista ofensivo a este nível, ele no Porto levava qualquer um ao desespero, qualidade de decisão abaixo de 0 e qualidade técnica e de passe muito fraquinha.

  4. Sim como jà tinha dito, nao hà saida a três mas a cinco com Kroos e Modric a nao jogar entre linhas o que traz segurança na saida contra a pressao adversa e segurança na transiçao defensiva.

    Sempre defendi a inteligencia desse sistema mas como nao é comum, muitos acharam aqui o Zidane burro porque o pessoal tem preconceitos ou dogmas.

    E como ja disse, isso é possivel porque tenho os jogadores para fazer isso: Kroos e o Modric a poder criar fora das linhas, os laterais Marcelo e Carvajal que servem sempre de apoio nas alas para fazer a linha toda e com muito inteligencia com a bola; o Ramos e Casemiro que servem de apoio atras mas que sabem variar com passes longos para jogar nos half spaces que deixa o adversario; e sobretudo o Isco, o Ronaldo e o Benzema a saber jogar entre as linhas com muitos jogadores em cima deles mas sempre a ligar os ataques com poucas perdas de bola; Benzema e Ronaldo que sabem propôr a boa profundidade
    E mais uma vez o que digo, os jogadores antes do sistema…

  5. Venho escrevendo neste blog desde o artigo em que o Jesus explica que acima de tudo é o sistema, depois o modelo e so ao fim do cabo, os jogadores que devem encaixar.

    Tentei explicar que a moda dos sistemas primazantes sao perigosos porque a mecanizaçao dos jogadores ( que quase jà nao jogam na rua…)tira criatividade. Essa equipa do Real Madrid liga os jogadores mas sao a criatividade, a tecnica, a sua decisao de cada um deles que primam mais que tudo nesse carrossel. O treinador desenha os losangos mas eles é que decidem da geometria do jogo. Eles é que sentem, eles é que vivem o jogo, eles é que criam a cada momento.

    Mais acrescentas jogadores criativos no teu jogo, mais vais ter sucesso: tenho andado a ver jovens jogadores, e vi dois jogos do joao carlos teixeira do ano passado quando jogava no Liverpool; um, em que nao se vê e so toma màs decisoes; e outro, em que joga no meio ao lado do coutinho que joga na faixa lateral, e os dois sao o mimo ver jogar juntos, a trocar passes de primeira ou em conduçao que permite desequilibrar.

    E para acabar a minha ultima mensagem neste blog, queria relembrar que os preconceitos sao muito fortes com os sistemas, e jogadores que nao encaixam, saem muitas vezes do processo e nao temos a sorte de ver a magia deles, e é por causa disso que sempre acharei o Jesus como perigoso à arte do futebol, mesmo se sei que a criatividade, a intuiçao, beleza serao superiores a esses senhores….

  6. Comigo Isco calçava sempre. Desde o Europeu sub-21 em que o Lopetegui fazia de treinador e o meio campo da Espanha com Isco, Thiago e Koke parecia que jogava sozinho que fiquei fã dos 3. Tem tudo.

  7. E para acabar com a minha participaçao nos comentarios, vou tentar desvanecer um pouco o misterio do futebol:

    Esse jogo é igual à vida porque é um tempo e um espaço inacabado, e por isso imprevisivel.

    Sistematizar o jogo é compor esquemas, o que é igual de fazer cuadros e por causa disso, reduz-se as perspectivas do jogador que jà nao é tao criativo.

    Como numa ideia de vida eterna, a beleza nos permite maiores horizontes.

    A beleza do futebol nasce na anarquia da rua onde desenha-se a beleza das fintas, aprenda-se a conduççao da bola sem ser apanhado, aperfeiçoa-se os movimentos de corpo e de bola no pé, imaterializa-se a relaçao com a bola, desenvolve-se uma nova visao dos movimentos do jogo, descobra-se que a intuiçao é mais rapido do que a inteligencia, aprende-se a força da partilha com os outros e de como nos definimos sempre melhor com amizades, saborea-se com a possibilidade de criar espaços que eram invisiveis.
    Antes do golo ou de querer ganhar o jogo, temos de deixar à criança o prazer da vida e do jogo.
    O objectivo mata o prazer, reduz as perspectivas inteletuais e espirituais, e pôr as crianças tao cedo no treino arrisca a apobrecer o nosso futebol; mas acredito que enquanto haverà sempre um pedaço de terra, relva ou cimento num bairro qualquer para as crianças apreciar o jogo, a beleza do futebol nunca acabarà.

    E o segredo do sucesso é esse: deixar crescer esses jogadores, escolher os melhores artistas, limar os seus defeitos individuais e o superfluo (a evoluçao do cr7 é tremenda), que eles entendem a exactidao, a inteligencia individual e coletiva, que eles sentem melhor o sentido do jogo… mas sobretudo deixa-los na liberdade criativa num sistema flexivel que permite o equilibrio.

    Quem deixar jogar juntos tanto criativos como o Busquets, xavi, iniesta e o Messi ou como dito neste artigo, o Kroos, Modric e o Isco estarà sempre mais perto de ganhar. Nos ultimos 9 anos ( penso sinceramente que o Real ganha sem feridas a final), o Real e o Barcelona juntam 6 vitorias….

    O melhor treinador é quem encontrou o melhor sistema para eles conviver:
    O Guardiola com uma posse de bola muito importante e uma pressao alta quando se perde a bola.
    Como as equipas cortavam o espaço muito atras, o Luis Enrique retraiu-se para deixar espaços e permitir mais vezes a transiçao ofensiva.
    Quando as equipas adversas começaram a fazer a pressao alta, o Zidane faz a saida a cinco jogadores que permite tambem controlar melhor a transiçao defensiva.
    Mas sem Kroos, Iscos, Modric, Iniestas, Dybalas, messis, busquets , bernardos , mykhtarians, pastores, verratis, weigl, xabis e xavis, thiagos, mullers, griezmans e tantos e tantos, esses sistemas nao valem nada.

    Desculpa pelos meus comentarios que nunca foram muito sinteticos e boa continuaçao no vosso projecto tao inteligente.

  8. A minha questão é até que ponto isto é trabalho do treinador. Zidane não é treinador do Real há 3 ou 4 meses, é treinador do Real há dois anos, e até há bem pouco tempo o que se via era uma organização ofensiva primitiva com uma obsessão pela profundidade, que tinha as bolas paradas como a maior arma ofensiva e sempre com muitos homens atrás da linha da bola. Sou um completo leigo mas quando via jogos do Real há uns tempos atrás parecia que estava a ver uma equipa do Mourinho. Não me esqueço que vi o Real com este mesmo treinador ser completamente dominado por este mesmo Atlético na final da champions como não me esqueço que os vi dominados este ano pelo Celta ou pelo Las Palmas. A grande alteração foi mesmo o espaço que o Isco ganhou no plantel, porque passando a contar com muitos jogadores que falam a mesma linguagem e que possuem o mesmo perfil de decisão o jogo do Real mudou. Porque independentemente do que o treinador quer são os jogadores que jogam. Ou isso ou demorou dois anos, com uma evolução microscópica da qualidade de jogo, a chegar onde queria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*