Acordar para a realidade

Há não muito tempo, depois de humilhações sucessivas na pré temporada, culminada com um atropelo no Emirates, o Benfica percebeu que o que tinha em casa era curto. Chegaram então as claras mais valias de Júlio César e Jonas, que tanto contribuíram para elevar o nível da equipa.

Para a presente temporada fica a sensação de demasiada sobranceria na preparação da época. O delapidar dos melhores valores, não tem sido compensado com entradas que possam sequer minimizar os estragos. Sobranceria tal que fica a ideia de que na Luz há quem acredite que substituir vários jogadores de partida para as melhores equipas europeias é tarefa ao alcance de qualquer um.

Apresentou-se ainda com várias baixas na Suiça, mas não tantas que possam justificar a pouca qualidade individual evidenciada, sobretudo em posições que não deverão ser reforçadas.

Muitas são as vezes em que é na pré época que se percebe que não basta o símbolo na camisola para se continuar a vencer, mas antes, ter garantias de qualidade.

Tem a palavra o Benfica. Com a certeza que não se reforçando, e esperando somente o crescimento das actuais opções, correrá um risco muito sério de perder o seu favoritismo.

Rodrigo Castro
Sobre Rodrigo Castro 103 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

13 Comentários

  1. Não vi nenhum dos 2 jogos do Benfica, mas este defeso, até agora, é essa imagem que deixa parecer. Não sendo uma atitude “arrogante”, mas dando uma ideia de superioridade. O Sporting está claramente mais forte, o Porto, para já continua igual ao ano passado (tirando a saida do André Silva, que baixa um pouco a qualidade dos avançados).

    Com os 3 pilares que já saíram do Benfica, tanto dinheiro que entrou, tentar fazer omoletes só com claras, não vai ser fácil. Nem sempre a solução é lançar jovens da casa, se estes não tiverem tanta qualidade como os antecessores.

    Assim será difícil chegar ao Penta

      • Coentrão, Mathieu, Bruno Fernandes, Doumbia, podence..Pelo menos já tem um plantel com mais opções e com mais profundidade que o ano passado.
        E com as saidas do Benfica, ficamos mais fracos.

  2. Acho que claramente o Benfica precisa de contratar um central e um lateral direito, mas dificilmente consegue encontrar jogadores com o nível do semedo e do lindeloff porque não os há aí aos magotes.

  3. É possível. Mas a falta de 5 titulares é muito grande (Luisão, Grimaldo, Eliseu, Pizzi, Mitroglou, Samaris, Jimenez, etc), jogando contra uma equipa que já está com ritmo de campeonato e Champions. São vice campeões suíços.
    Vamos com calma.

  4. Mas dá para concretizar as críticas? Qual, ou quais dos que partiram não têm substitutos à altura, ou com potencial para chegarem lá no actual plantel e porquê? Éderson, Lindelof ou Semedo?
    Gosto mais quando os textos são focados do que apenas uma crítica geral que qualquer adepto pode fazer utilizando o senso comum depois de um mau resultado.

  5. Na minha opinião, só a posição de guarda-redes é a mais carenciada e necessita de alguém mais consistente. De resto, Jardel e Luisão servirão para iniciar o campeonato, Lisandro é que pode ser vendido para contratar um terceiro central melhor.
    Lateral direito, posso enganar-me mas, André Almeida e Pedro Pereira darão conta. Agora, não podemos esperar que sejam Nelson Semedo.

  6. Concordo em muito do que é dito no texto. Ainda assim, creio que “sobranceria” não será a palavra que mais se adequa. O Benfica preparou, pelo menos no entender dos dirigentes, as saídas de Lindelof (Kalaica foi contratado, mas ainda há Jardel, que fez dupla de sucesso com Luisão e serão ambos titulares), Semedo (P.Pereira, mas há AA, titular e campeão no Benfica com a lesão de Semedo há 2 anos) e Grimaldo (Hermes, havendo ainda Eliseu). Para Ederson não chegou ninguém, mas há Júlio César. E ainda há as chegadas Krovi e Chrien, que não sei se não serão já a pensar numa eventual saída de Pizzi, a meio desta época ou no final.
    Acredito que esta pré-época servirá para testar essas soluções, e que haverá já jogadores identificados no caso de, como sucede, algumas dessas alternativas não estarem a corresponder (o caso mais gritante na minha opinião é o Pedro Pereira, mas J. César e Jardel já não são o mesmo, e a lesionarem-se, as coisas podem ficar feias). Como tal, acho que a palavra sobranceria não se adequa, pois ainda estamos a meio de julho, haverá ainda muito tempo para se contratar alguém. Claro que, quanto mais se adia, menos tempo de trabalho terá com os colegas, e a pré-época é muito importante para a integração de um jogador no plantel.

  7. Pedro Pereira, nas camadas jovens do Benfica tinha como suplente… Nelson Semedo. Partiu para Itália porque tinha futuro. Não sei o que aconteceu mas não acredito que desaprendeu. É deixá-lo jogar e crescer. Foi assim com o Nelson, que também não tinha tarefa fácil mas rapidamente fez esquecer o antecessor. Lizandro, Jardel e Kalaica parecem-me ser bons o suficiente para fazer dupla com o Luisão ou até mesmo entre eles. Mas precisam jogar que é o que lhes dá ritmo. O jardel bem de 1 ano de paragem. Quanto aos novos reforços, não opino. Não vejo por norma jogos da pré época para não discutir com os arautos da desgraça que normalmente grassam por estas alturas. E como já aqui foi dito, criticar porque sim, já chegam os programas de TV com os comentaristas artistas.

    • Como é que o Nelson Semedo era suplente do Pedro Pereira se este só começou a jogar a defesa direita na equipa b por opção do treinador? Ele jogava no meio campo quando foi para o Benfica.

  8. A época começou há 2 semanas e já se fala de arrogância do SLB por não ter comprado uns reforços. Cheira-me a precipitação. O SLB tem optado por este modelo de gestão nos últimos 7/8 anos e sempre tem construido equipas competitivas (nem sempre campeão, mas sempre na luta). Não quer dizer que vá acontecer este ano também, mas isso é o tipo de conclusão que só mais perto do final da janela de transferências, se pode retirar. Este alarmismo é um filme já muito visto. É isso e o SLB nunca ser o favorito ao título.

1 Trackback / Pingback

  1. Rui Vitória, problema ou solução? – Lateral Esquerdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*