Martial. Talento à espera do momento.

Penso que o jogo foi bom para ele, foi por isso que o deixei em campo durante os 90 minutos. Estava a aproveitar e a experimentar coisas, é importante fazê-lo nestes jogos amigáveis, por isso foi bom para ele e para a sua confiança

Mourinho

O que separa os grandes talentos que se tornam referências das suas equipas e outros que vão adiado, por vezes eternamente, o seu momento, é a consistência.

Obviamente que queremos maior consistência no seu talento

Mourinho

Consistência que só chega precisamente quando se tem tempo para experimentar, para errar. Para aprimorar a decisão. Consistência expressa precisamente em capacidade para tomar decisões.

É o entendimento do jogo e a forma assertiva como se começam a enquadrar as decisões em cada instante que a bola toca nas botas que permite chegar-se a outro patamar.

Como qualquer jogador bastante jovem como é o francês, só a repetição, o jogo, lhe trará capacidade para cumprir o seu potencial. Em Manchester poderá ser uma espécie de Ás de trunfo que ajudará em momentos muito específicos a equipa de Mourinho a somar mais pontos. Porém, para o próprio United, tê-lo a cumprir minutos sucessivos num outro contexto elevado, poderá ser o melhor para conquistar um grande talento. É que em Manchester, não há muito tempo para se poder “fazer” jogadores.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3013 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

1 Comentário

  1. Coisa feia que ele fez Eheheh

    Apesar da incrível técnica que tens que ter para fintar meio mundo, o que me agrada é aquele passe.

    Podia ter-se entusiasmado e tentado finalizar, o que seria normal, até pela idade dele.

    Não, levantou a cabeça e meteu no gajo certo para marcar um golo fácil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*