Desafios tácticos para Rui Vitória

Benfica's head coach Rui Vitoria reacts during the Portuguese First League soccer match against FC Porto held at Dragao stadium in Porto, Northern of Portugal, 20 September 2015. FERNANDO VELUDO/LUSA

Os maiores problemas do processo defensivo do Benfica, a possibilidade de encaixar Jonas num sistema táctico diferente, a possível solução Krovinovic, a ausência de Mitroglou, e ainda o melhor sistema táctico para o Benfica de Rui Vitória enfrentar a presente temporada.

Na edição escrita de hoje do Jornal “A Bola”, também disponível para patronos.

Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, e darem uma pequena ajuda tornem-se patronos deste projecto. Também com acesso à drive do Lateral Esquerdo, onde partilhamos “influências”. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3043 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

3 Comentários

  1. Penso que 3-4-3 com o Grimaldo como Central pela esquerda e Ruben como central pela direita poderia ser uma boa solução. As alas seria entregues a zivkovic e Sálvio. Meio campo com fejsa e krovinovic e frente de ataque com Jonas, pizzi e Raul.

  2. …e porque não, um regresso de Pizzi ás alas, com Krovinovis a assumir o meio, ou em permuta com o Pizzi, que tanto poderia jogar descaído para a direita ou para a esquerda??….parece-me que hoje em dia, mesmo jogando em 442, as equipas querem conquistar a interioridade e o jogo entre linhas, e parece-me que esta prática de pôr um centro campista descaído para uma das alas, uma moda com muito sucesso….basta ver as melhores equipas de hoje em dia…o Real, o City, Barça, Chelsea, etc….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*