A estreia de Douglas

Pouco prometedora. Foi assim a estreia do lateral direito Douglas.

A herança deixada por Nelson Semedo é demasiado pesada, contudo, se o brasileiro era a esperança para resolver um problema de qualidade no corredor direito, as indicações deixadas na partida perante o Olhanense do terceiro escalão português trouxeram a sensação de que ainda muito se falará sobre o sucessor de Semedo.

Maior qualidade técnica que André Almeida, mas sem demonstrar nunca um critério que o coloquem num patamar de excelência, ou sequer que possa beneficiar da sua tomada de decisão para aproximar consecutivamente o Benfica de situações mais prometedoras. Pouco acrescentou com bola, mas foi porém, defensivamente que as lacunas quer posicionais, quer nas abordagens defensivas se fizeram sentir. Mesmo em organização defensiva, inúmeras vezes a obrigar Luisão a sair do corredor central e a ficar mais exposto. Dificuldades de tal forma acentuadas que o pouco mais que poderá acrescentar ofensivamente, dificilmente compensará tamanhas dificuldades a defender. Da sua capacidade de evolução e da estratégia e valor de cada adversário dependerão as escolhas de Rui Vitória. Com a certeza que por certo esperaria bastante mais e melhor…

Os primeiros quarenta e cinco minutos no Algarve foram assim:

Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, e darem uma pequena ajuda tornem-se patronos deste projecto. Também com acesso à drive do Lateral Esquerdo, onde partilhamos “influências”. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com.

O livro do “Lateral Esquerdo” agora em promoção no site da PrimeBooks (9’90€). Aqui, com entrega ao domicílio sem custos associados!

 

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3009 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

5 Comentários

  1. É fraco, toda a gente sabia que era fraco, e ninguém sabe porque é que veio. O maior insulto que lhe posso dispensar é que tem abordagens aos lances defensivos que nem eu tenho nos jogos que faço com os meus amigos. Paupérrimo.

  2. estou convicto que qualquer penedo é melhor que AAlmeida! de muita coisa má que vi do douglas, pelo menos vi ele a receber uma bola no pé. Tinha saudades de ver um ld a fazer isso no benfica, depois de nelson semedo ter ido embora. Quero acreditar que alguns dos erros foi por ser uma equipa inferior. quem jogará quarta feira????

  3. Mau demais para ser verdade. Se é esta a alternativa ao André Almeida compreendo porque se adiou até mais não a sua estreia e não compreendo como se tornou o Pedro Pereira um pária.

    Com bola o Pedro deu mais, muito mais, das vezes que foi chamado (sem chegar ao que o Nélson dava, ou ao que a equipa precisava), do que Douglas. É o primeiro jogo? Claro, ainda se está a habituar, contra o Man United o tipo vai mostrar que é ainda melhor que o Nélson!

    Se outro exemplo da sobranceria com que a “estrutura” abordou a preparação da temporada fosse necessária, ele aí está.

  4. Por esse vídeo não me parece tão mau assim. Quero acreditar que as deficiências defensivas estejam relacionadas com a falta de ritmo. A nível ofensivo, parece ter recursos interessantes e tendo em conta que já não jogava há alguns meses, estava bastante à vontade com bola.

  5. Com bola, sinceramente esperava pior , com mais ritmo de jogo e num campeonato como o portugues, a atacar parece-me ser mais do que o suficiente.

    Sem bola è um verdadeiro desastre, ganha 2M de euros anuais, realmente ter bons empresàrios dà cà um jeitinho…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*