Três jogadores a seguir no Brasil em 2018

Paulinho – Vasco da Gama

Ainda menor de idade, o extremo direito do Vasco já é uma certeza no Brasil, pela sua imensa capacidade de desequilíbrio. Drible fácil e rápido, executa tão rápido quanto o que se move.

No Brasil comparam a jovem promessa ao extremo Ribery, pela facilidade com que se liberta de contenção, e provoca danos nas estruturas defensivas adversárias.

É o protótipo do menino de rua que se diverte com o jogo, mas sempre vertical e a uma velocidade estonteante.

Em cima dos argumentos em zonas de criação, tem finalização fácil e potente. Tudo para marcar uma década no futebol brasileiro, mas… jogando na Europa.

Arthur – Grêmio

Aos vinte e um anos, o médio centro explodiu no Grêmio, onde venceu a Libertadores.

Baixo centro de gravidade e uma qualidade técnica suprema, faz lembrar os médios mais interessantes do futebol mundial. Os que têm “giro” como referenciava Xavi.

Criatividade, capacidade para progredir com bola e quebrar linhas em posse, Arhur acelera o jogo quando o espaço e a relação numérica o pede, mas também tem o condão de prender mais a bola. Tirar-lhe a bola é tarefa hercúlea, pois é um autêntico mestre no controlo do envolvimento que o rodeia.

Decide rápido, executa com qualidade e vê sempre tudo.

Uma enorme promessa do futebol mundial. Um sucessor para Iniesta?

Brenner – São Paulo

A jóia de São Paulo transitou directamente dos sub 17 para a equipa profissional, e é um dos jogadores que importará seguir na próxima década. Na equipa principal do São Paulo poderá surgir como o ponta de lança ou como extremo, porque a sua imensa qualidade permite-lhe ter impacto a criar e também a finalizar.

Velocidade e qualidade de execução incrível, agressivo, veloz na passada, um finalizador de excelência com ambos os pés, e também no ar, mesmo sendo um miúdo morfologicamente pouco robusto.

Ver Brenner jogar é recordar-mo-nos dos puros talentos brasileiros, que desmontam adversários com aquela ginga própria de quem aos dez anos de idade já tinha milhares de horas de bola no pé.

Aos dezassete anos vai à procura de ganhar o seu espaço no São Paulo e no Brasileirão, com a certeza de que quando o momento chegar, o topo é o seu destino.

Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, e darem uma pequena ajuda tornem-se patronos deste projecto. Também com acesso à drive do Lateral Esquerdo, onde partilhamos “influências”. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3380 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

6 Comentários

  1. Acompanho o Arthur desde o começo do ano, não se surpreendam se pegar a titularidade do meio da seleção brasileira na copa, e digo mais 50 milhões de euros tá barato por ele! Qualidade técnica, inteligência, tomada de decisão correta, muita criatividade, impossível de tirá-lo a bola, e além de tudo muito personalidade. E falo sem medo: está nascendo um novo iniesta

  2. iniesta?xavi?a verdade é que não conheço mto bem o arthur…vejo o um diego(santos)e sem metade da criatividade dele no inicio da carreira…

1 Trackback / Pingback

  1. O giro e a visão do Arthur – Lateral Esquerdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*