A mensagem despercebida do mal-amado Seferovic

Foi na jornada 12, frente ao Marítimo que Haris Seferovic somou, o 50.º jogo pelo Benfica. Este registo vem simbolizar uma das fases de maior sucesso que o suiço vive na Luz, estando a um golo de igualar o registo de golos da época transata, quando ainda faltam disputar tantos jogos…

Seferovic começou a época como quarto avançado, mas depressa ultrapassou Ferreyra e Castillo, aproveitando ainda a lesão de Jonas para constar no onze de Rui Vitória.

Não é um ponta de lança de área fixo, apesar de ter uma dimensão física assinalável, conta com 1,85m e 85kg.

Destaca-se essencialmente pelo índice de trabalho e pelas movimentações circulares, visando a profundidade e com mestria escondendo-se do fora de jogo. Preferencialmente, faz estes movimentos do centro para a sua direita, fletindo posteriormente para o meio para usar o seu pé esquerdo para desferir remates, colocados e fortes.

Tem como principal característica o desgaste que impõe às defesas contrárias, sendo proativo no condicionamento da 1.ª fase de construção adversário. É um elemento que segura bem a bola (muito útil para a subida da equipa) e joga essencialmente ao primeiro toque em combinações. (vídeo com som)

 

De mal-amado vai passando mensagens despercebidas para o espírito de equipa.

Cruijff
Sobre Cruijff 16 artigos
Leandro Monteiro, desde muito novo é aficionado pelo estudo do futebol, fazendo-o enveredar por uma formação superior em Ciências do Desporto, indagando mais sobre a modalidade. Durante a realização do mestrado, juntou-se ao plantel profissional dos seniores do Sporting Clube da Covilhã, onde esteve a trabalhar durante sete anos. Neste, aliava a coordenação do scouting, com a preparação física, a observação dos adversários e da própria equipa, sendo treinador principal dos juniores e equipa sénior B. Deste percurso destaca-se o facto de na equipa B, ter sido o treinador mais novo campeão de Portugal em seniores, aquando da conquista do Campeonato Distrital. Alcançando na época seguinte a subida aos campeonatos nacionais, pelos juniores. Atualmente é analista de futebol. Contato: leandrocgmonteiro@gmail.com

6 Comentários

  1. Leandro, óptima análise, apontamentos visuais muito interessantes! Se puder deixar uma nota para o futuro seria tirar a música pois em alguns momentos distrai.

  2. Blog fantástico.. análises fantásticas! Mas seferovic pode ser isso tudo, mas em clubes grandes conta os golos e não o trabalho. Cardozo fazia golos e não corria.. daí amarmos Cardozo e não aguentar mais o que o Seferovic anda a fazer. Ferreyra vem de 2x consecutivas a ser o melhor marcador da Ucrânia e é suplente de um homem que só corre? Alguma coisa não está bem!

  3. Excelente Analise.já tinha reparado nas suas qualidades , trabalha muito é um ponta de lança a moda antiga trabalha muita e desgasta um adefesa.
    Pena que não jogue com um jogador nas suas costa com qualidade de passe que ele merecia.

  4. Bom vídeo, já discordei da forma como se referem ao Seferovic (se compararmos com o que se diz de outros com perfil semelhante ou ainda mais tosco). É daqueles que em determinados contextos (com mais apoios, mais gente de qualidade ao redor, com melhores ideias ofensivas) pode render muito mais. Gostei especialmente do jogo que fez contra o AEK na Luz – um jogo completo a vários níveis, a defender, a combinar (grande toque a deixar o Gedson na cara do redes) e a finalizar (não marcou neste jogo por infelicidade). Ah mas é tosco, pois, mas se não fosse e com as restantes qualidades dificilmentr estaria no Benfica – pareve que de forma geral há muita gente a colocar o Benfica ao nível dos colossos, o que é bastante desonesto. Também é engraçado falarem aqui do Ferreyra – mas o que é que este mostrou? Nada! Um gajo que anda por ali meramente à espera de finalizar. Não participa em mais nenhum momento do jogo e também não é especialmente dotado de inteligência, físico ou habilidade. Quero lá saber se marcou 150 golos na Ucrânia ou na Conchichina, até parece que a Ucrânia é um lugar onde se pratica futebol de qualidade e competitividade.

  5. Boa compilação daquilo que o Jogador tem de bom e pode dar à equipa. Aproveita bem os espaços, e quando o tem e está enquadrado com a baliza só com o guarda-redes pela frente, da-me a impressão que tem um aproveitamento acima da média .

    Dito isto, parece-me que deveria apenas ser uma opção estratégica, de forma pontual, quando o adversário proporcionasse ao Benfica, um jogo em que pudesse ser aproveitada a profundidade como regra.

    Na maioria dos jogos do Benfica, não há muito espaço e é necessário que os jogadores sejam rápidos, que mentalmente saibam antecipadamente o que fazer e fisicamente ágeis – o que implica tecnicamente evoluídos.

    E é aqui que o Seferovic mostra todas as suas debilidades. São inúmeros os lances que se perdem nos seus pés. Contra-ataques em que o avançado faz de pivô para colocar a bola no espaço são sempre desperdiçados pela eternidade que demora a receber e a rodar. Bolas com mel metidas na área, se não houver espaço, são bolas perdidas.

    Não conhecendo muito bem o Castillo e o Ferreyra, será Seferovic e o seu estilo tão diferente do de Jonas, a melhor opção quando não há Jonas??

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*