Benfica total

O Benfica de Lage não se limitou a passar para a frente do campeonato na casa do seu maior rival. Fê-lo numa das mais memoráveis exibições dos encarnados na invicta.

Memorável pela personalidade demonstrada. Algo que, convenhamos não tem sido assim tão habitual na casa do seu maior rival. Personalidade expressa na forma como bem mais do que o FC Porto, não se coibiu de ir à procura do resultado que pretendia. Não esperou a sorte, não se fiou no defender bem esperando que algo acontecesse. Foi à procura e mereceu.

Salvo raras excepções, e maioritariamente quando com dez, o jogo decorreu tal como Bruno Lage o idealizou. Mesmo quando o FC Porto teve bola.

A ratoeira foi montada, com a pressão de Gabriel e Samaris nos dois médios dos azuis que se esconderam nas costas dos avançados encarnados. O FC Porto não conseguiu nunca ligar com a sua segunda fase para construir, e ou tocava fora nos laterais e o Benfica activava pressing para recuperar a bola, ou esticava na frente, com menos critério e o Benfica recuperava a maioria das bolas.

Com bloqueio dos dois médios, 2 soluções para progredir – Tocar fora e pressing activado, esticar por cima nos três do corredor central.
Pressão muito organizada – Quem saía tapava ligação interior, linhas de passe próximas com pressão nas costas
Benfica tacticamente condicionou e controlou todas as saídas para o ataque do Porto, que sem soluções despejou bolas na frente

Com bola, uma ideia que se ligou também com o momento defensivo. Estrategicamente para fugir à pressão mais forte dos médios centro, menos ligação com Gabriel e Samaris de costas para o jogo, tal como referiu Bruno Lage ter sido uma opção estratégica. Saída por fora e regresso ao corredor central, mas ai já com os médios em cobertura, de frente para o jogo.

Não abdicou da exploração do corredor mais importante, antes desenhou um novo caminho para lá chegar com maior segurança, protegendo debilidades do seu duplo pivot no meio.

Com bola os posicionamentos foram sempre ousados, como têm sido no seu modelo, com a presença interior de Felix, Seferovic, Rafa e Pizzi nas costas dos médios adversários e ainda os laterais projectados em largura e profundidade.

O golo da vitória surge precisamente na simbiose Modelo (posicionamentos habituais) – Estratégia (rota por fora, para voltar dentro).

Mas também em Transição Ofensiva (com a orientação habitual das saídas para o lado oposto à recuperação procurando corredor central), e em Transição Defensiva (quando não resolveu imediatamente após a perda, recuperou defensivamente e equilibrou-se – Nota: Ver video com acção de Seferovic), foi um Benfica personalizado. Competente, seguro e formoso!

Benfica Total. Só assim, poderia sonhar fazer do Dragão um possível palco da reconquista. Bruno Lage é tudo o que um treinador de topo mundial deve ser. Modelo bem definido e com comportamentos de excelência em cada um dos momentos, Estratégia própria para cada jogo, como a cereja em cima do bolo (modelo), que condiciona pontos fortes e esconde pontos fracos, e uma liderança serena, que influencia pela qualidade do trabalho.

Eles estão a fazer de ti treinador, Bruno. Mas, não tanto quanto o que estás a fazer deles jogadores.


Estamos de novo no Twitter.
Já nos segues?

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3698 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

13 Comentários

    • Deixem-se desses comportamentos caríssimos. O Oliver esteve desaparecido devido à qualidade do Benfica e não falo da qualidade individual, mas sim da preparação e estratégia deste jogo, sempre no modelo preparado pelo Lage, mas com a variante que mencionam no texto. Atrevo-me a dizer que este Oliver como está hoje (muito mais intenso) treinado por Lage estaria noutro nível… Tendemos muito a ver o jogador pelo indivíduo e não pelo colectivo que está inserido… Outra coisa, se querem criticar os autores critiquem de forma construtiva. Dessa forma melhoram este espaço e todos nós aprendemos.

      • O FCP só se aproximou da área do Benfica na 2ª parte através de Óliver, pena foi (para o FCP) que a bola ia invariavelmente para as linhas laterais, não por Óliver mas por ser esse o plano de jogo.

  1. O resultado podia ter sido outro, inclusive o Benfica ter saído com uma derrota se o Porto aproveitasse a vantagem numérica. Mas nunca desprezaria o trabalho surreal que o Lage está a fazer nesta equipa do Benfica. Como vários autores já aqui o disseram, neste momento o Benfica tem comportamentos exímios para todos os momentos do jogo! Já não se via um treinador a trazer coisas tão novas e tão frescas para a nossa realidade nacional há muito muito tempo.

  2. Bom dia. Bela vitória e boa crónica. A imagem utilizada no topo é retirada de onde? Gostaria de obter essa foto com mais resolução mesmo que tivesse algum custo ou direitos associados.

    Cumprimentos.

  3. Impressionante trabalho de Lage, e de ficar boquiaberto com a calma e confiança com que a equipa actua e executa nas 4 linhas. Reparar no golo de João Felix enquanto festejam, rafa a correr e a agarrar na bola e a chamar João Felix … era o golo do empate mas o jogador já acreditava em algo mais … a confiança advém do treino sem dúvida …
    E que dizer do jovem central Ferro ?? Mais elegante a jogar a ir Rúben dias sabe mto bem o que fazer com a redondinha nos pés de muito inteligente a forma que com o corpo nas bola divididas tira o avançado da jogada ou o condiciona … também não tenho palavras para a atitude do samaris … um proscrito que volta e que não sendo um fenómeno de jogador consegue colar a equipa … o seu corte aos pés de Herrera para mim o lance do jogo (concentração e percepção – TOP)
    Abc

  4. Maldini, e a análise de S. Conceição ao jogo? Uma completa desilusão, maior ainda do que a prestação do FCP. Não fui / sou grande fã deste FCP mas ontem a sua insistência em que o FCP foi melhor que o Benfica sugere que SC não terá capacidade para melhorar o que quer que seja. Se acha que o FCP jogou bem e se não viu quão melhor o Benfica foi, não poderá obviamente corrigir os problemas da sua equipa.

    • MM o Conceição não dá mais que isto mas o discurso de ontem não acredito ser por falha na análise mas porque não pode dizer outra coisa. É discurso alinhado com a comunicação do clube e, como por certo sabes, extravasa em muito o futebol jogado.

  5. Maldini, acho que foste exagerado com o Porto… O Benfica fez um ótimo jogo e sim, durante 60min +/- foi superior MAS não é que o Porto não tivesse opções ofensivas. Aliás, é “fácil” identificar o espaço nas tuas imagens, seja nas costas da defesa (Marega) ou atrás da 2 linha (corona/brahimi). Acho que o que Benfica fez melhor foi desconfortar o Porto, não deixando Oliver e Herrera pegarem no jogo atrás e obrigando a serem os centrais a sair a jogar. E quem vê o Porto sabe que as instruções aos centrais são chutar pra frente, e claro que com adrian no lugar de tiquinho, essa ideia não resulta tão bem. De resto, o Porto foi o que costuma ser. Espero que voltes a analisar os golos mas da perspetiva defensiva. Sim, os golos tiveram uma intenção por detrás mas em ambos há demérito da defesa portista. Abraço ps: também era bué interessante comparar o último Porto-Benfica a este, na altura tinhas feito comentários diferentes. Quero ver se manténs a opinião

      • Antes de mais, obrigado pela resposta! E sim, o trabalho de Lage é notável. Mas não sei até que ponto também não foi notável o trabalho iniciado por Conceição começado à ano e meio. Ele valorizou os jogadores pelos quais não se dava nada e talvez veremos alguns dos jogadores do Benfica, ja identificados aqui por ti cheios de potencial, a crescer e mostrar que valem muito mais daqui pra frente. Pra já estou ansioso por ver os duelos da próxima época entre Lage e Conceição e pelo teu próximo post. Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*