Rápidas de Coimbra

Num teste de dificuldade nula porque perante uma equipa que pareceu estar sempre à beira do abismo, ora porque sem qualquer pormenor nos princípios defensivos, ora porque com bola ainda terá de perceber que não compensa oferecer várias situações de golo iminente ao adversário para se chegar 2 ou 3 vezes ao meio campo ofensivo, a análise incidirá apenas nas impressões ao lado individual.

Ferro. Com o jogo tão fácil, emergiu ainda mais a capacidade do central do Benfica em posse. Se já era uma marca do seu jogo, vai agora parecendo cada vez mais aprimorada. Em jogos de grande caudal ofensivo, são os seus primeiros passes e decisões que começam a desenhar as jogadas mais adiante. É um jogador diferenciado naquela posição, no momento ofensivo.

Nuno Tavares. No trabalho para o DN (aqui) e no post “Fábrica de Talentos” no Patreon (aqui) já me tinha referido ao potencial do lateral esquerdo do Benfica. Fisicamente é um monstro, capaz de fazer consecutivamente todo o corredor. Contra a “briosa” esteve novamente muito participativo, demonstrando que no seu primeiro ano de futebol sénior já está preparado para ser alternativa ao espanhol Grimaldo.

Gabriel. O regresso do “quarterback”. Foram as suas primeiras variações longas que começaram a desmontar a organização da Académica. Agressivo e forte nos duelos no momento da recuperação, e capaz de transformar as situações ofensivas perante muitos contra poucos pela forma como circula a bola. Volta a ser um dos destaques com Bruno Lage.

Chiquinho. Pequenos pormenores em espaços curtos que não enganam. O médio português tem qualidade para jogar dentro do bloco adversário, e com coordenação com os colegas, será determinante quer no processo de criação quer a finalizar. É um candidato ao onze e a uma época de nível elevado.

Raul De Tomás. Três quatro pormenores técnicos, quer na recepção quer na finalização que deixaram antever uma qualidade muitíssimo elevada. Um milésimo de segundo ou trinta centímetros de espaço e o Espanhol parece preparado para aproveitar. Do que se vai conhecendo, um upgrade gigantesco ao perdulário Suiço, que ainda assim somou mais de duas dezenas de golos na temporada passada.

Cervi e Caio Lucas. Vida mais difícil para ambos os alas. Problemas de decisão, que se acentuam pela forma como o modelo de Lage pede aos seus alas para jogarem em espaços curtos. A agressividade defensiva do Argentino não será suficiente para ser opção na nova época, e o brasileiro ainda bem longe de demonstrar o porquê de poder ser opção.

Tudo bastante prematuro, porém. Quer nas competências de uns, quer na incompetência de outros.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3586 artigos
Pedro Bouças - Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

3 Comentários

  1. Jota não merecia uma notazita? Tem ainda que melhorar muito na tomada de decisão, mas o potencial é muito e pareceu me estar mais “dentro” do jogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*