Coordenação da Última Linha – Definição de Espaço e momento para Contenção

Na última grande conquista leonina, num texto que ultrapassou as 120 mil pessoas alcançadas (aqui) trouxe não apenas a incrível exibição de Mathieu, mas também as dificuldades de coordenação da última linha do Sporting. Muitos movimentos feitos de forma isolada, sem articulação com colegas de equipa, com o central francês a garantir por si só, de forma individual o controlo da profundidade de todo o sector.

Na partida na Suiça, o primeiro golo da formação “caseira” nasce precisamente de um lance onde o comportamento da linha defensiva do Sporting é temerário, imprudente e descoordenado:

  • Má definição do espaço / momento onde iniciar contenção por parte de Ivanildo. Com tanto espaço nas costas teria sido mais prudente continuar a baixar metros, esperando ajuda, um erro na progressão do adversário, ou simplesmente até encurtar mais espaço para o seu guarda redes
Movimento de baixar deveria ter sido colectivo – Indicação do Espaço onde Ivanildo poderia sair sem risco no portador, e respectivo posicionamento dos colegas que acautelaria possível bola nas costas.
  • Mesmo perante a saída demasiado precipitada de Ivanildo, Ilori e os colegas laterais deveriam ter aumentado a distância para Ivanildo, continuando a baixar metros para que do seu posicionamento até ao guarda redes não estivessem tantos metros que se pudessem explorar


MAIS CONTEÚDOS EXCLUSIVOS  na página de patronos deste projecto. Recordamos que 1 dollar mês será desde logo uma grande ajuda, e suficiente para poder ver tudo o que é por nós produzido

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3703 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

2 Comentários

  1. Concordo que no momento em que paras a imagem a linha defensiva devia ter baixado linhas.. Mas no meu entender, o ivanildo falha ao não encurtar distâncias ao jogador que faz a assistência antes de ele receber, não o deixando virar e impedindo o de virar para para a baliza. A linha continuaria mais alta, encurtando espaços nesse momento.

  2. Concordo que no momento em que a imagem é parada a linha defensiva é o ivanildo deveriam ter continuado a baixar na proteção da baliza, mas no momento em que há troca de câmara, não podia o ivanildo ter encurtado mais cedo, impossibilitando o jogador que faz a assistência de rodar para a baliza, continuando com a bola coberta, podendo realizar pressão numa zona mais alta do campo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*