A adaptação Estratégica e a troca de Modelo – A Supertaça

Muito se falou da Estratégia do Sporting que tudo alterou para se poder bater contra o Benfica.

É uma questão de terminologia – Foi por Estratégia que o Sporting tudo alterou. Mas não é dessa Estratégia que por cá se fala!

Mudar tudo, incluindo a base posicional significa que o Sporting mudou MODELO – jogou com o seu modelo alternativo.

Quem foi estratégico no jogo foi o Benfica – Bruno Lage manteve modelo (4x4x2) mas alterou a forma como defende (Raul defendeu o espaço nas costas de Seferovic, mais próximo em profundidade de Rafa e Pizzi, no espaço entre médios do Sporting) e não no habitual lado a lado com o Suiço, como sempre o Benfica faz.

O Sporting ao alterar tudo mudou sistema e consequentemente modelo! Trocou todos os posicionamentos e não apenas numa fase de um determinado momento – Foi uma Estratégia, sim – Mas não é esse o lado Estratégico que tantas vezes é abordado cá – Porque essa era da Estratégia sugere as adaptações em função de um modelo.

Ou seja – Precisamente aquilo que Bruno Lage vem fazendo desde que pegou no SL Benfica – Mantém a sua identidade, mas sempre cirúrgico nas adaptações para contrair o adversário – E para o magoar quando tem a bola!

Sporting em Organização Defensiva – 4x5x1 – Troca de Sistema – Posicionamentos totalmente alterados em todas as fases defensivas – Um novo Modelo
Benfica na Organização Ofensiva de sempre – 2+2+6 (4 por dentro + 2 por fora)
BENFICA ESTRATÉGICO – RDT trocou o posicionamento ao lado de Seferovic na 1ª Fase defensiva e colocou-se sempre entre os dois médios do Sporting, não saindo para pressionar centrais – AO CONTRÁRIO DO QUE É HABITUAL
Organização Defensiva HABITUAL do Modelo de Bruno Lage (Sem a nuance Estratégica – Avançados defendem lado a lado)

A Supertaça ficou marcada pelo jogo em que Bruno Fernandes teve menos acções em mais de uma temporada (a excepção é o jogo no Dragão em que o Sporting ficou cedo reduzido a dez) – Mais do que marcar individualmente o médio leonino, a forma como o Benfica preparou a sua organização defensiva para esta partida, impediu o Sporting de em ataque posicional conseguir chegar ao Espaço entre Médios e Defesas encarnados no corredor central.

Pizzi fazia parede a Mathieu; Rafa a Neto; e Raul de Tomas posicionava-se entre médios, enquanto ainda sobrava Florentino e Gabriel que tapavam a entrada de uma possível bola nas suas costas.

É cada vez mais perceptível a importância da leitura e ajuste rápido ao que está a acontecer, e a forma como Lage se mostrou preparado para a surpresa que o Sporting viria a apresentar é bem reveladora da qualidade do seu trabalho.

Quem mais teria desconfiado de que Marcel pudesse voltar a surpreender alterando o seu modelo?

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3676 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

6 Comentários

  1. O Pizzi esteve imperial nos lances decisivos da partida mas não defendeu o jogo inteiro. Deixou várias vezes o Nuno Tavares exposto ao 2vs1, sobretudo com Bruno Fernandes e Acuña. Não sofrer golo resultou sobretudo da total falta de competência/qualidade do adversário. Foram várias as vezes no momento defensivo que estava parado no meio campo adversário. Não sei como toda a imprensa portuguesa ignora isso, protegendo o jogador. Não acha que passa também por aqui que jogar na Europa corra mal com Almeida e Pizzi…?

  2. Não me choca que o Sporting mude o modelo e/ou que o mesmo seja adaptativo. Salvaguardando as devidas distâncias entre treinadores, já vimos, por exemplo, o Guardiola a fazer o mesmo.

    O que me choca é que, seja em que modelo for, não há lógicas consistentes na organização defensiva. Parece mesmo qur os jogadores sabem pouco mais do que qual é a sua posição base sem aparentemente terem estimulos no treino para reagir, ajustar, subir, descer, à medida que os lances se vão desenvolvendo…

  3. Sobre o Benfica, a análise está excelente!
    Vinha achando que o Lage dispunha a equipa quase sempre demasiado distendida. Neste jogo não achei isso.

  4. Marcel Keizer é sem dúvida o pior treinador que já vi no Futebol Português e Mundial, o Sporting é uma equipa completamente caótica em todos os momentos de jogo, o momento de transição defensiva é francamente mau, a equipa não estando bem posicionada na perda, acaba por recuperar menos bolas e com menos bola, temos mais dificuldades em controlar os jogos.

    Este plantel é claramente o melhor dos últimos anos, já tivemos planteis com Maurícios e Wilsons Eduardos e sempre nos batemos com os rivais, nunca o Sporting levava 4 e 5 golos do Benfica ou Porto.

    Muito preocupado com o arranque da Liga, os nossos treinadores são muito estratégicos, vejo o Keizer a ser comido de cebolada, não ficaria admirado se o Sporting fizesse 0 pontos nas primeiras 3 jornadas.

    Keizer não chega até Setembro, mas o mal está feito, vai deixar a equipa de cacos psicologicamente, não me lembro de não ganhar 1 jogo de pré-época, dispensou jogadores titulares como Mama Balde e Matheus Pereira, Daniel Bragança também devia ficar no plantel, Maximiano devia ser titular, Gonzalo Plata devia estar à frente de Diaby ou Jovane, Eduardo e Miguel Luis deviam ter mais oportunidades, Dost devia deixar de jogar, enfim, uma série de equivocos.

    Este plantel do Sporting com um treinador a sério e luta perfeitamente pelo título, a minha aposta seria no Rudi Garcia, para mim dos melhores do Mundo, foi campeão no Lille, ficou em 2ª na Roma, tem o melhor arranque de sempre da Liga Italiana, 10 jogos, 10 vitórias, 24 golos e 1 sofrido.

    No Marselha as coisas não correram tão bem, mas o plantel era desequilibrado, ainda assim chegou à final da Liga Europa, é o tipo de treinador que gosto,metódico, flexível taticamente, com capacidade de liderança e comunicação, é simples e prático.

    Mas também ficaria satisfeito com Ivo Vieira, Setien, até por um Silas ou Nuno Manta já suspirava, mesmo não sendo Top.

    • Penso no que acabas de dizer e lembro-me de Renan, Maximiano, Acuna, Wendel, Ristovski, Borja, Bruno Gaspar, Ilori, Eduardo, Battaglia, Vietto, Diabby (reparo que o metias a titular). Lembrando-me desta gente toda, 12 atletas que representam á volta de 50% do plantel concluo que terem despachado o Gudelj foi positivo mas não faz do plantel o melhor dos últimos anos, Wilson Eduardo tinha lugar neste plantel ao pé coxinho e que lutar pelo título só se fosse de sub buteo.

      E basta dizer “tens guarda redes para o 3o e mal” mas também podia dizer que acuna descontando a “raça” falha em quase todos os parâmetros de avaliação de um jogador de futebol pós 1999 com principal foco em ser um jogador emocionalmente desequilibrado num clube emocionalmente desequilibrado.

      Bastaria dizer que William sozinho fazia do Sporting mais candidato que Wendel e Doumbia juntos.

      Bastaria relembrar que Coates e Mathieu estão mais perto da reforma que voltar ao pico das carreiras.

      Dizer que este plantel seria candidato é manifestamente exagerado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*