Saída Longa vs Marcações Individuais – O Exemplo da Lazio e do Estoril

Depois do boom gigantesco da Zona, o regresso das marcações individuais veio para ficar. As marcações individuais retiram os espaços entre linhas que as melhores equipas gostam de explorar, dificultando a ação de quem começa a construir desde trás e impedindo a possibilidade de quem joga de costas ficar de frente. É cada vez mais frequente ver equipas a pressionar homem-homem na construção adversária ou até no campo todo, o que cria desconforto sobre quem constrói e aí, vemos também, cada vez mais, equipas a utilizar o Guarda-Redes para gerar superioridades. Hoje, todas as equipas preparam o seu momento defensivo para encaixar (quase) homem-homem na saída adversária, e tal facto tem provocado um aumento significativo de duelos individuais e de situações em igualdade numérica mas fundamentalmente, mais dificuldades para quem ataca. No entanto, a presença do guarda-redes poderá ser decisiva por raramente ser pressionado.

No fim de semana passado, a Lazio e o Estoril (equipas que, habitualmente, gostam de construir desde trás com uma chegada junta à baliza adversária) defrontaram duas equipas (Spezia e Marítimo respetivamente) que defendiam homem-homem a campo inteiro ou acabavam por encaixar individualmente na saída adversária no caso do Marítimo contra a equipa de Bruno Pinheiro. Estrategicamente, ambas optaram por construir mais longo, procurando aproveitar situações de igualdade numérica no meio campo adversário e aproveitaram, ainda, o facto dos adversários não pressionarem o guarda-redes. E como os adversários vão para onde os avançados querem, os desequilíbrios surgem com maior naturalidade porque quem defende está com a equipa aberta e estendida no campo à espera de roubar a bola no meio campo ofensivo, sem estar preparada para que exista uma bola longa para o seu meio campo defensivo.

A saída longa pode muito bem ser uma solução para contrariar as marcações individuais, sobretudo se nossa saída for o mais aberta possível porque vai obrigar ao adversário a defender mais largo e mais distante no campo. Num jogo que está em constante evolução, novas soluções ofensivas surgirão para responder aos problemas que as organizações defensivas colocam.

Sobre Pirlo 119 artigos
Apaixonado pelo jogo e pela análise. É o pormenor que me move na procura do conhecimento. Da análise ao jogo, passando pelo treino, o Futebol é a minha grande paixão.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*