Será Musa o ponta de lança do Benfica de Schmidt?

Nos últimos dias a imprensa nacional tem dado como certa a chegada de Petar Musa ao Benfica 2022/2023 que irá ser comandado por Roger Schmidt. Com as eventuais saídas de Pinho, Seferovíc e Darwin, a chegada de um novo avançado para o centro do terreno parece ser quase certa. Mas será o avançado do Boavista o mais indicado?

Um ponto que não pode passar despercebido tanto à estrutura do Benfica como aos seus adeptos é o modelo que Roger Schmidt impõe nas suas equipas. Um modelo que muitas vezes dá mais protagonismo aos extremos do que propriamente a um ponta de lança goleador. E para isso, a comparação com Zahavi do PSV Eindoven é interessante de se fazer.

Zahavi antes de chegar ao PSV do treinador alemão, era um avançado com histórico de golos quase sempre acima dos 20 e por vezes até acima dos 30 por temporada. Contudo, após ser comandado por Roger Schmidt diminuiu o seu registo para números abaixo dos 20. Porém, estas duas épocas nos Países Baixos representam o seu recorde de assistências para golo. Este ano, o ponta de lança israelita conta já com 10 assistências para golo. Causando assim uma mudança no padrão de época do jogador.

Se tudo correr como deve de ser, todas as contratações do Benfica já estarão a ser estudadas segundo aval do novo treinador para que este se possa munir de armas que sustentem o seu modelo e as suas ideias. É aqui que Musa poderá entrar.

Musa que na sua época de estreia em Portugal conta já com 11 golos marcados, é um avançado que se tornou num dos destaques da Liga Bwin pela forma como joga. Apesar de ser um avançado esguio com 1.90m, o avançado croata não é o típico ponta de lança fixo que se entrega aos centrais.

O ainda avançado do Boavista é um jogador excelente na procura do espaço que o possa favorecer. Por norma, tende a esconder-se atrás dos centrais adversários para que depois se possa movimentar sem a total percepção dos opositores ganhando assim vantagem para disputar cada lance. Tem uma técnica interessante tendo em conta o estereotipo dos jogadores altos e é dotado de um remate fácil que lhe permite finalizar de primeira.

Mas é na forma como serve de apoio frontal aos médios e como se associa com os extremos que se assemelha ao trabalho que vem a fazer Zahavi (e até Vinícius que já tem 6 assistências esta temporada) no PSV.

Se a ideia é ter um avançado capaz de finalizar mas que sobretudo seja dotado de uma leitura de jogo que lhe permita ter movimentações que favoreçam os extremos e médios ofensivos, Musa é uma boa solução. Até porque além das qualidades futebolísticas, é um ponta de lança jovem que o Benfica poderá conseguir rentabilizar e obter não só rendimento desportivo como financeiro.

Sobre EdgarDavids 58 artigos
Analista de Desempenho Coletivo e Individual & Técnico de Exercício Físico.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*