Dinâmicas ofensivas no regresso à Europa – Curtas sobre o Vitória de Moreno

O Vitória SC regressou à competição na Conference League com uma vitória convincente por 3-0 deixando já apontamentos bem interessantes apesar do início de época turbulento devido à mudança de treinador e mesmo tendo em conta o nível mais baixo do adversário. Assumindo o jogo desde o minuto inicial, a estrutura em organização ofensiva de 1-4-3-3 com meio-campo em 1+2 apresentou alguns pormenores interessantes: mesmo neste estrutura, procura da colocação dos extremos mais por dentro (onde Jota é muito forte quando recebe enquadrado entrelinhas) com os laterais a fazerem o corredor (posicionados a meia-altura), com os interiores nas costas dos médios adversários e o pivot (Alfa Semedo) nas costas da primeira linha de pressão. O ajuste dá-se quando Alfa integra a construção para criar superioridade, entrando no meio dos centrais transformando a estrutura num 1-3-4-3, com os dois interiores a funcionarem mais na diagonal (do posicionamento de ambos entrelinhas, um deles passa a vir pedir no pé para compensar o espaço aclarado por Alfa). Na frente também dinâmicas interessantes com o ponta muito forte a vir em apoio e a jogar a um toque para enquadrar os médios, com os extremos com estímulo para contramovimentar de forma complementar ao ponta (ele vai em apoio, eles vão em rotura ou vice-versa), sempre com os laterais a conferirem largura máxima ao jogo.

O equilíbrio, com os dois laterais projetados, acabou por ser dado pelos dois centrais e por Alfa em 2+1, até pelas características do jogo que permitiram uma ocupação mais agressiva do espaço ofensivo do jogo. Apenas o primeiro jogo oficial mas os sinais foram positivos para o que se segue.

Sobre Juan Román Riquelme 96 artigos
Analista de performance em contexto de formação e de seniores. Fanático pela sinergia: análise - treino - jogo. Contacto: riquelme.lateralesquerdo@gmail.com

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*