Concentração Defensiva e…é à Zona, David!

white corner field line on artificial green grass of soccer field

1 – Demasiado lento, a colocar-se entre Jorge Ribeiro e a baliza de Quim, garantindo a cobertura defensiva

2 – Fora da sua zona, deveria ter permanecido bem próximo de Sidnei

3 – Que parte do bem próximo de Sidnei e Jorge Ribeiro, continua David Luiz sem entender?

4 – Também tu, Sidnei?

5 – O raio da concentração defensiva, não é David? Mais uma vez, demasiado lento a aproximar-se de Jorge Ribeiro.

Ao longo de quase todo o jogo, David Luiz pareceu posicionar-se como um atacante, promovendo mais à largura, que a concentração. Agora percebe-se o porquê de Quique ter afirmado que Luisão é quem está a assimilar melhor o que é pedido.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3011 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

6 Comentários

  1. PB, justificar uma derrota por cinco golos com problemas individuais parece-me muito mais fácil do que correcto. O problema do Benfica é colectivo e não surgiu apenas ontem. Ontem, por azar, o Benfica enfrentou uma equipa que soube aproveitar bem o espaço entre linhas e o deserto que é um meio-campo povoado apenas por dois jogadores. Com isso, dominou o jogo por inteiro e criou inúmeras oportunidades de golo. O resultado não foi excessivo, para a diferença de competência entre um modelo e outro. Os gregos souberam sempre assumir o jogo, usando o centro do terreno para avançar, sobretudo com passes verticais, fazendo então a bola entrar entre o meio-campo e a defesa. A partir daí, bastava um último passe ou uma bola nas linhas para se ter uma oportunidade. Sem muitos passes, a equipa grega conseguia entrar nas linhas benfiquistas e fazer o que queria. Vem daí a vitória. Quanto aos lances, não considero haver incompetência individual de ninguém em excesso. David Luiz não é um jogador extraordinário em termos posicionais, mas também não é a avestruz que fazes dele. Sidnei igual. Dizer ainda que Luisão não é melhor que eles nesse aspecto.

    Vamos aos lances. No primeiro golo, David Luiz até poderia ter optado por descer mais, colocando-se de forma a que a bola não fosse cruzada para onde foi. O problema, contudo, é o espaço que há entre meio-campo e defesa. Há um jogador que fica na zona de penalty e que, caso Galleti tem contemporizado, ficaria sozinho para receber depois a bola. Penso que o David Luiz terá pensado em ocupar um espaço não tão recuado de modo a poder chegar a uma zona (essa zona onde se encontrava esse jogador) onde não havia nenhum médio do Benfica. O problema, mais uma vez, é colectivo. Mas, se fosse individual, Sidnei também não estaria isento de culpas. No segundo golo, não aparece na imagem, mas é um defesa central a fazer o primeiro passe para aquele jogador que tabela com o Diogo e mais tarde finalizará a jogada. Ou seja, com um passe, os gregos ficam apenas com os 4 defesas do Benfica pela frente. Quando a bola chega a Diogo, Yebda e Bynia estão longe do lance. É David Luiz que sai no avançado grego (e bem) tentando fazer oposição. Mais uma vez, o erro é colectivo. No terceiro golo, com uma tabela, ou seja, dois passes, todo o meio-campo do Benfica é ultrapassado. Quanto ao posicionamento de David Luiz, sinceramente acho-o mais correcto que o do Sidnei e o do Maxi, que baixaram muito e concederam mais espaço entre si e o meio-campo. David Luiz e Jorge Ribeiro estão na linha em que deveriam estar os 4 defesas. E se Sidnei estivesse nessa linha, a bola nunca chegaria a Diogo como chegou. O desacerto é, uma vez mais, colectivo. No quarto golo, é verdade que o Sidnei não deveria ter ido pressionar a uma zona onde já estavam Bynia e Yebda, mas esse acto pouco ou nada contribuiu para o golo. Já a desconcentração de Jorge Ribeiro, esquecendo-se de Galleti, parece-me influenciar a coisa. No quinto golo, de facto David Luiz poderia e deveria ter-se aproximado de Jorge Ribeiro (e com ele, por arrasto, toda a defesa deveria ter basculado) Acontece, contudo, que o principal problema não é esse. Quem também deveria ter-se aproximado da zona de acção da bola era o meio-campo do Benfica. Caso o tivesse feito, Galleti não teria o espaço que teve para vir para dentro. Como o teve, pôde vir e depois servir Diogo. Mais uma vez, problemas colectivos.

    Acrescentando a todos estes o resto dos problemas que se viram no jogo, com e sem bola, este foi um encontro muito ilustrativo dos problemas a que um 442 clássico como o do Benfica está sujeito. Foi também um jogo bom para se perceber que, mesmo com Ruben Amorim em campo, o Benfica é uma equipa desequilibrada, que concede muitos espaços no meio e que, contra adversários que saibam aproveitar os espaços que se formam inevitavelmente entre linhas, o Benfica terá sempre dificuldades.

  2. Anunciar que a gerência decidiu, após ter de moderar alguns comentários, não só estapafúrdios, como insultuosos e reveladores de pouca inteligência, aplicar uma célebre frase.

    “No futebol, mt poucos deveriam falar sobre mt, e mts deveriam falar sobre mt pouco..”

    não permitindo mais comentários aos posts.

    Este n pretende ser um espaço de idiotice.

  3. esqueci-me de referir que o Quim também esteve mal neste jogo, no terceiro e quinto golo sofridos teve hesitações fatais, saiu da baliza tarde e a más horas dando espaço e tempo para pensarem e decidirem os jogadores gregos de finalizarem as jogadas.

    Foi um Quim displicente e com medo em Atenas, nunca tinha visto uma exibição destas do Quim no Benfica.

  4. Sinceramente não concordo contigo na abordagem total a David luiz, pois mais que erros individuais que existiram, o colectivo esteve longe do ideal.

    E David tendo cometido erros, foi o jogador que menos se podem assacar culpas, pois Sidnei não ganhou um lance em que esteve envolvido, pois então no 1 J. Ribeiro deixa um homem nas costas receber e centrar, e depois fica a olhar para a recarga desse mesmo homem que faz golo numa recarga, no segundo D.Luis faz a pressão e bem no homem da bola [falha dos jogadores a meio-campo], mas O lateral Maxi assiste o avancado, e Sidnei, ficou as aranhas, no 3 David luiz, acompanhou o homem na marcacao [se bem que nao bem feita], mas Sidnei como o ultimo jogador e de cobertura, é comido de cebolada, não se admitindo em alto nivel, uma jogada daquelas, no 4 Sidnei!!!, no 5 é onde podem assacar mais responsabilidades, pela má cobertura ao colega…

    Sabes, penso que se falou muito de David Luis para se desculpar um meio-campo e uma estratégia de Quique mal pensada, e quando se ve e ouve falar mal muitas vezes, muitos pensam que é verdade e vem as coisas que ouviram, mais do que viram…

    Mas Jorge Ribeiro confirma o que penso dele…mediano.

    Aprecio na mesma os teus textos, apesar de neste estarmos longe de convergirmos neste ponto.

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*