Identidade. O que o Porto perdeu, e voltou a ganhar com Lopetegui.

Não pretende isto dizer que Lopetegui tem uma equipa da qualidade da que Vitor Pereira formou. Pretende apenas realçar que hoje, se o Porto jogar com a mesma cor que o adversário ficará vincada a diferença para o oponente nos princípios que o treinador tenta implementar. Com maior ou menor qualidade, o Porto recuperou a identidade dominante perdida no ano anterior.

O que se ouve de Vitor Pereira é o discurso que se deve ouvir em qualquer equipa que ambicione ser grande.Claro que a equipa deve ser competente em todos os momentos do jogo. Porém, é em organização ofensiva e transição defensiva que os grandes jogam na maior parte do tempo, e é sobretudo aí que a sua organização deve ser fenomenal. Qualquer treinador que vá para uma equipa grande ser pequeno estará mais próximo do insucesso. Por colocar-se ao mesmo nível dos adversários, e dividir o jogo. Saudades dos duelos entre Jesus e Pereira, ponto a ponto. É ouvir o que se diz e ver o quanto joga, aqui
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3010 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*