Entre muitos golos falhados em transição ofensiva

O Sporting esqueceu-se de controlar o jogo como já o fez no passado – em organização ofensiva. Se até Janeiro era tremendamente difícil ferir o Sporting em vantagem, pelo controlo do jogo que a equipa tinha com bola, hoje o Sporting esqueceu-se disso. Nas palavras de William Carvalho, o Sporting partiu a equipa, e dividiu o jogo, dando espaço entre linhas. 
Deu a iniciativa de jogo ao adversário, tendo menos bola, partindo e dividindo o jogo. Sendo uma equipa com uma mais valia individual evidente, não parece muito boa ideia partir e dividir. A realidade é que as oportunidades surgiram em contra-ataque e não foram concretizadas. Mas há também mérito, muito mérito, da equipa de Paulo Fonseca que volta a criar uma equipa pequena com uma ideia de jogo muito atractiva, com muita bola, com jogo nos três corredores.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3012 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*