Defender bem – Uma questão de quantidade

“Para mim, defender bem é defender pouco, é defender durante pouco tempo, é ter a bola o mais tempo possível, é estar a maior parte do tempo com a iniciativa de jogo, não tendo necessidade de estar em acções defensivas. (…) defender bem é uma mistura de «pouco», em termos de quantidade de tempo, mesclado com o momento da perda da posse de bola.”  

José Mourinho

Tem-se falado imenso da competência defensiva do FC Porto: elogia-se a estabilidade do processo defensivo e, sobretudo, os poucos golos sofridos.

Um olhar mais atento permitir-nos-á perceber que a causa desse sucesso não reside na boa organização defensiva da equipa.

O FC Porto não é uma equipa forte em organização defensiva. Ainda assim, tem concedido pouquíssimas oportunidades de golo. Para defender bem não é preciso defender muito tempo, e é isso que tem fortalecido a equipa de Nuno Espírito Santo.

A forma como a equipa transita defensivamente tem sido boa e isso tem ajudado a garantir um elevado tempo de posse de bola.

Neste momento de jogo, para além da velocidade de reação dos criativos, destaca-se Danilo.

Sobre Bruno Fidalgo 75 artigos
Licenciado em Ciências do Desporto. Criador e autor do blog Código Futebolístico. À função de treinador tem aliado alguns trabalhos como observador.

2 Comentários

  1. Excelente.

    Notam-se também alterações na abordagem de Felipe aos lances, evitando as faltas por excesso de agressividade, igualando Marcano na forma “limpa” como tem estado.

    Em termos ofensivos, a utilização de futebol direto parece ter desaparecido, ao contrário do que aconteceu quando se começou a utilizar o 4-1-3-2. A construção é feita quase sempre pelo chão, de forma curta, facilitando a transição defensiva pela proximidade de jogadores na zona da perda da bola, assim como a sua reação rápida.

    Alex Telles já começa a procurar zonas interiores, o que também é significativo para a imprevisibilidade do jogo ofensivo.

    Continuação de bom trabalho.
    Rafael

    • Sem duvida. O não ter ideias ofensivas e despejar para a área cruzamentos sem fim parece ter desaparecido, defensivamente quase sempre esteve bem, o Porto esta época.

      Danilo, The octopus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*