Jorge Jesus – Rui Vitória

Já se defrontaram por imensas vezes ao longo dos últimos dois anos. Jorge Jesus venceu três, perdeu dois e empatou hoje.

Naquilo que os treinadores controlam – Modelo de Jogo e Estratégia, o empate de hoje em Alvalade é o primeiro jogo em que Jorge Jesus não sai por cima.

O erro de Ederson entregava faca e queijo. Porém, mesmo tendo um SL Benfica incapaz de criar em número suficiente, nunca o Sporting fez por merecer a vantagem que caiu do céu. Do céu cairia também o empate, diga-se.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3767 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

4 Comentários

  1. Foi um jogo fraquinho a meu ver. O Sporting nao está a sequer a 75% do que foi na época passada. O Benfica assim aproxima-se mais em termos coletivos.

  2. Não diria propriamente que o jogo foi fraco. Acho é que foi melhor jogado defensivamente do que ofensivamente, sendo que uma coisa está relacionada com a outra. Na 1ª parte o Benfica com mais bola e a tentar jogar mais em organização mas sem conseguir criar nada, e o Sporting a tentar transições mas não saiu nem uma. Muito difícil jogar no meio e ninguém no SCP é particularmente rápido e criativo em espaço curto. Quando conseguia a bola era quase sempre para Jefferson ou Schelotto, mas qualquer um deles estraga mais do que come. Se no resto da liga os laterais do Sporting vão dando, nos clássicos torna-se óbvio que a equipa conseguiria muito mais – ofensivamente – com gajos que soubessem jogar.

    Pareceu-me que o melhor do SCP foi o ínicio da 2ª parte com Alan Ruiz a ligar no meio e a criar as únicas 2 ou 3 oportunidades do jogo. É perceptível a leitura perfeita que JJ faz dos jogos na forma como o SCP, regra geral, cria mais e concede menos nas 2ªas partes.

  3. JJ pode não sair por cima, mas não sai totalmente por baixo!

    JJ pode dizer que ofereceu espaço ao Benfica na primeira parte, mas aí parece-me que está mais a querer desculpar-se do que outra coisa. Mesmo assim acho que RV só consegue sair de baixo quando começa a mexer com o banco. O Sporting nunca conseguiu lidar muito bem com a entrada do Jiménez e foi por aí que o Benfica teve calma e tranquilidade para controlar os últimos 15/20 minutos da partida.

    Isso e Jefferson/Bruno César a fazerem uma ala esquerda de sonho para os adversários! Pior dupla só mesmo uma hipotética Schelotto e Sálvio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*