Hoje há clássico – Recordar o passado para construir o futuro

Na antevisão, falou-se muito sobre o que marcou o primeiro clássico da temporada, com a particularidade da leitura de ambos os treinadores ir completamente ao encontro do análise realizada pelo Maldini (aqui), num texto com o título “Sporting onde Conceição o quis“.

Fundamental mesmo era que a equipa soubesse onde tinha de pressionar, o que fazer para não permitir que o Sporting saísse a jogar a partir de trás e que a bola não chegasse ao último reduto deles.

Sérgio Conceição

 

Veremos se neste jogo o Sporting tem capacidade para sair das fases do jogo em que o FC Porto nos apertou muito bem em Alvalade e espero bem que possamos fazer isso

Jorge Jesus

 

“E foi ai que entrou Herrera no jogo, pela forma como o FC Porto condicionou a construção leonina. Quando Sporting saía pela direita, Herrera baixava, fechava espaço à frente da linha média, Aboubakar fechava espaço à frente do central leonino, a equipa azul e branca encurtava o campo e obrigava o Sporting a sair pelo lado oposto. Ai, o comportamento da pressão da equipa de Sérgio Conceição era diferente. Não tapava o espaço à frente de Mathieu, mas antes convidava o Sporting a sair pelo seu corredor esquerdo, pela forma como Herrera saía na pressão, sempre com movimento em L, tapando primeiro ligação de Mathieu com corredor central, e saíndo depois na bola.

Foram quarenta e cinco minutos de Sporting a tentar sair sempre pelo corredor esquerdo, com a sensação de espaço que Sérgio Conceição oferecia, para recuperar mais à frente, beneficiando da menor qualidade de Jonathan, e de Acuña quando comparado com Gelson, mas também da presença de Danilo sobre a metade esquerda do campo leonino, para se impor nos duelos, sempre que o Sporting conseguisse ligação.

FC Porto a levar o Sporting para o seu lado menos capaz, e equipa leonina sem nunca conseguir assumir o jogo. As perdas sucediam-se, e ou os azuis saíam em transição ofensiva, com ataques rápidos de maior potencial, ou as bolas perdiam-se pela linha lateral e a posse voltava ao FC Porto”

Muito do sucesso ou insucesso do futuro parte também da análise do passado. Jorge Jesus demonstrou ter percebido o que se passou no jogo da primeira volta do campeonato, e promete alternativas.

Fica a expectativa por um jogo a um nível táctico elevado, e que o nível técnico e de decisões com bola, acompanhe o trabalho de casa dos treinadores!

Rodrigo Castro
Sobre Rodrigo Castro 217 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

4 Comentários

  1. O Sporting tem posssibilidades frente a um fc porto que nos últimos jogos não tem conseguido ter a mesma forma do que no início da temporada muito devido ao plantel que acaba por ser curto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*