A redenção de Oliver, no efeito Conceição

Oliver Torres parece ter elevado os seu nível competitivo para os índices que todos esperavam. Nos últimos dois jogos juntou à qualidade inegável com bola,  números magníficos para quem pretende ser o motor e protagonista no meio campo dos campeões nacionais.

“Rotação” ou “Andamento” são termos bastante utilizados pelas pessoas que são ou estão no futebol, e pretendem adjectivar positivamente aquele tipo de jogador que é muito disponível mentalmente para dar de forma mais rápida as devidas respostas ao que o jogo pede. É chegar mais rápido ao espaço a ocupar, seja num posicionamento defensivo ou ofensivo, é chegar mais rápido ao portador da bola, ou às costas de quem pode e vai receber, é chegar mais rápido para cortar uma linha de passe. É um atributo mental, de disponibilidade para, mas que se traduz depois num gesto motor. Tal como tantos outros.

Não está de forma alguma relacionado com aspectos morfológicos – Ter rotação não se relaciona com ser alto ou baixo – Ter muita ou pouca força.Aqui.

Há uns meses questionávamos se não seria a falta de rotação do 10 portista a deixa-lo de fora das opções de Sérgio Conceição. Oliver tem tudo, sempre teve, mas agora sim está a ser colectivo, naquilo que o seu treinador mais valoriza aquando dos momentos sem bola.

Sérgio Conceição lembrou ainda o início da época passada, período durante o qual Óliver Torres foi titular, e admitiu que o espanhol poderia voltar a ser opção:

“Nunca decido em função das redes sociais. Decido em função do treino e da forma como vejo o treino. Não quero individualizar, mas posso dizer que o Óliver foi importante o ano passado dentro das características que tem. Não tem tido tanta utilização este ano, mas pode passar a ter. Respeito a opinião dos adeptos, mas baseio-me nos dias de trabalho” Aqui

O espanhol , nos dois jogos mais recentes demonstrou, sem bola, pois com ela sempre foi magnifico, que está com outra disponibilidade mental para se colocar ao serviço do colectivo. O problema nunca foi de correr muito ou pouco, mas sim ter a disponibilidade mental para se manter ligado ao jogo, mesmo sem correr, interceptar passes e estar ligado à equipa. Os números que servem para agora confirmar que Oliver é o supra sumo do campeonato, terão de ser esses mesmos a confirmar o que dizíamos, nunca em tempo algum Oliver fez dois jogos seguidos com tanta qualidade nas suas acções individuais como com números tão elevados de recuperação de bolas, comprovando que se estiver os 90 minutos ligado ao jogo, tem tudo para ser a figura deste e de outros campeonatos. Esperemos que seja para continuar, pois o tempo que perdeu, não é irremediável.

Estará Óliver a passar pelo mesmo processo de Sérgio Oliveira, com um crescimento nas suas competências sem bola em função daquilo que idealiza Sérgio Conceição? Recorde as palavras do treinador dos Dragões no final da temporada passada, referindo-se ao aumento de agressividade do médio português como catalizador para ganhar o seu espaço na equipa e tornar-se importante.

 

Passar de uma, duas recuperações por jogo para números elevadíssimos será, o que o poderá manter o espanhol na equipa, porque com bola, Sérgio Conceição nunca teve dúvidas do que traz para o jogo dos azuis e brancos.

Por vídeo as recuperações de Oliver nos últimos dois jogos

Dejan Savicevic
Sobre Dejan Savicevic 50 artigos
Treinador, apaixonado por desporto, futebol e treino. Experiência em campeonatos nacionais na formação e atualmente ativo no futebol sénior. Colaborador na área de scouting e análise de jogo, com vários treinadores e equipas do campeonato nacional da Primeira Liga. contacto - galeiras@gmail.com

4 Comentários

  1. Este texto é suposto ser irônico? Ou estão a falar a sério quando comparam o número de recuperações de bola de jogos em q ele jogou 90 minutos com os anteriores em que ele só jogava 20 minutos???
    Se experimentarem comparar com o início da época passada quando ele era titular vão ver que ele sempre teve números desses, que na altura eram tão bons como os do Danilo…

    • Ora nem mais.

      Também acho que não houve ‘click’ nenhum, ele sempre defendeu bem. Nunca foi bom é no wrestling, e quando é isso que pede o Sérgio Conceição…

  2. Espectáculo! Espero que o click tenha mesmo sido dado! Se deu ao Oliveira… pode dar ao Óliver, com a diferença de quem tem muito mais qualidade!!!

    Excelente trabalho, malta

  3. Não tenho seguido os jogos do porto, mas ao ver o video deu-me impressão que o Oliver parece estar a jogar mais atrás do que costume, isto é, a ser médio com mais preocupações defensivas do que seria esperado para o que se pensava para um jogador com assuas características (e como tem vindo a ser utilizado anteriormente, imagino). Isso também terá impacto no número de vezes que é chamado a intervir nas recuperações de bola, suponho.

1 Trackback / Pingback

  1. A redenção de Óliver, segundo Sérgio Conceição – Lateral Esquerdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*