Plano a plano – A marca de Lage

SL Benfica`s interim coach Bruno Lage reacts during their Portuguese First League soccer match between SL Benfica and Rio Ave FC held at Luz Stadium, Lisbon, Portugal, 06 January 2019. MIGUEL A. LOPES / LUSA

decido em função do que precisamos para um jogo específico… se preciso de qualidades específicas para um jogo ou para outro…

…ele volta para trás um pouco mais rápido, tem personalidade para jogar em Old Trafford… jogou 25 derbys… [porquê Kompany quando Otamendi tinha estado muito bem]

Quando há muitas bolas longas frontais, prefiro o Nico e o Kompany porque são muito fortes, mas quando preciso de melhor construção… depende … as vezes quando jogam muito altos preciso do Sané… quando defendem muito baixo, preciso do David Silva… depende das qualidades dos jogadores… do que vejo dos treinos… do estado mental…

Pep Guardiola sobre as escolhas para cada jogo

O jogo e o maximizar de possibilidades para o vencer está em permanente mutação, e hoje mais do que nunca é a era do plano de jogo, da minuciosidade, da preparação estratégica de cada partida.

Bruno Lage entrou na equipa principal do Benfica com o campeonato praticamente perdido. Era o atraso de sete pontos, e um calendário com visitas ao FC Porto, Sporting, Braga, Guimarães e Moreirense [top 6].

Quem honestamente acreditaria em 15 pontos e num 15 – 4 nestes jogos? É que qualquer deslize para quem levava 7 de atraso era o fim.

Há algum tempo atrás, antes de chegar ao Benfica, o treinador partilhou connosco a semana de trabalho do Sheffield Wed liderado por Carlos Carvalhal, e já ai se percebia o passo à frente que era o seu trabalho. A correcção e o trabalho do seu modelo, e a minuciosidade no plano de jogo, trabalhando também do ponto de vista estratégico a preparação de cada partida.

Quando chegou à equipa principal do Benfica, não teria sequer outro caminho. Com uma desvantagem gigantesca na classificação não restaria mesmo mais nada que não o “jogo a jogo” como tantas vezes vem afirmando.

Quinze vitórias em dezasseis jogos, sessenta golos (quase quatro por jogo) contra doze sofridos, é um registo incrível, sobretudo se pensarmos que três das actuais mais valias da equipa foram por si “inventadas”. Não leve à letra a palavra invenção para Felix, Ferro e Florentino, mas quem teria a coragem de paulatinamente soltar os miúdos enquanto alguns pesos pesados foram perdendo espaço? E tudo de forma tão bem pensada e enquadrada que não chegou sequer para ferir egos.

Do modelo, à preparação estratégica, passando pela liderança e processo de treino (no que é possível observar), Lage revolucionou o futebol do Benfica e poderá vir a colher os louros de um campeonato que esteve perdido.

Organização Defensiva do Benfica, com o pormenor que Abel revelou: Deixa Rafa mais “desligado” da linha (mais adiantado), para poder ser mais perigoso na Transição Ofensiva
Uma das Transições Ofensivas – Rafa a receber mais adiantado é sinal de maior desequilibrio e consequente mais vantagem numérica. Seferovic movimenta-se bem, mas é um desastre em tudo o que envolva tocar na bola. Quanto tem o Benfica de criar para suprir a inabilidade do seu avançado?
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3586 artigos
Pedro Bouças - Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

28 Comentários

  1. Hoje viu-se no Benfica o que não se viu nas segundas mãos da taça de portugal e da liga europa, ou seja, a partir de determinado threshold (coincidência ou não) o Benfica percebeu que tinha que mudar.

    Quase toda a primeira o Braga não deixava o Benfica construir das formas habituais. No final da segunda parte o Benfica já procurava construir pelos corredores laterais (ironicamente nessa altura houve curtos momentos em que fez lembrar a construção do RV, progressões por um só corredor em cada momento).

    Na segunda parte o Benfica passou a usar os corredores laterais mas aí já fazia mudanças de corredor e forçava o Braga a dar mais espaço.

    A partir do momento em que marca 2, o Benfica fez gestão do jogo.

    Achei muito interessante a abordagem inicial do Braga que forçou vários erros e instabilidade nos jogadores do Benfica. Muito interessante o Lage ter identificado o que tinha que fazer e ter conseguido ajustar a construção e criação da equipa.

  2. O Lage é muito fraco, o único mérito que teve foi em apostar em jogadores como Felix, Florentino ou Ferro, porque também os conhecia da equipa B.

    O Benfica faz muitos golos, porque tem jogadores criativos e fortíssimos na profundidade, incrível os metros que jogadores como Florentino, Pizzi, Rafa, Seferovic ou Felix ganham, isso desbloqueia linhas defensivas.

    Mas por outro lado, é uma equipa muito desequilibrada na perda, não tem médios intensos nessa componente e a própria transição defensiva não é boa, o Benfica não é forte em nenhum momento de jogo, não sabe gerir os ritmos de jogo, vive das individualidades que são superior às outras equipas.

    • Chega um treinador que nunca teve uma semana inteira para treinar a equipa e acha uma equipa a 7 pontos da liderança e em 3 meses ganha fora em alavalade braga e dragão, quase 100 golos marcados , 2 defesas centrais jovens que aqui ou ali vão falhando, o Sefer a pl … e ainda vem aqui alguem chamar o gajo de fraco , se o slb ganhar o campeonato este ano será um milagre consseguido por este treinador

      • Milagres tem feito Keizer com o plantel rídiculo que tem no Sporting, agora o Benfica?

        Tem de longe o melhor Plantel da Liga, bastava o Keizer ter um Grimaldo, Rafa ou Seferovic e tudo seria diferente.

        • Lol….dizer que bastava ao keyser ter
          Seferovic para tudo ser diferente…fez me babar de tanto rir…
          Não te esqueces que keyser pega no Sporting com Montero Nani doumbia Fernandes raphinha já para não falar no “poste” nas dost…. Tipo no que e que esses são inferiores a Félix Pizzi seferovic Rafa?

          Tipo o Sporting arranca na época com com 3 avançados, Montero doumbia e bas dost… O Benfica com um Castilho inadaptado Ferreira idem, seferovic que em 7 oportunidades marca 1 e Jonas que não aguenta mais que 30m de futebol corrido.

          Explica no que e que o Benfica e superior ao Sporting em termos de jogadores?
          Eu só Vejo numa coisa, um treinador que conhece o conntexto, deu se ao trabalho de conhecer os jogadores e acima de tudo, quis que a equipa jogasse a sua imagem, no Sporting, keyser andou a fazer testes e mais testes queimou pelo menos 2 miúdos e subvalorizou as qualidades de jogadores que tinha no plantel, já para não falar nas famosas invenções dos três centrais e da tentativa de fazer um jogo tiki Taka quando metade da equipa são jogadores que não conhecem sequer o tiki quanto mais o Taka..

          Se ele tivesse trabalhado equipa como está a trabalhar agora se calhar o Sporting neste momento não te iria parecer tão inferior ao Benfica..

          Porra lê se com cada coisa…

          Ainda bem que o Lage é fraco….pode ser que continue fraco para a próxima época como está a ser está.

      • Calma….a “cerejinha” de stand up está quando ele refere que o Benfica não tem medios intensos na reação a perda…..calma samaris, eles não sabem o que dizem ….lol

    • O Rui Vitória também tinha lá esses ingredientes todos vem de 3 épocas seguidas e teve mais que tempo para preparar a época. A verdade é que se o Lage não tivesse entrado o Benfica nunca seria campeão este ano e provavelmente estaria atrás do Sporting a lutar o 3º lugar com o Braga. Não é sorte, o Benfica tem uma identidade de jogo e jogadores a despontar porque assim este treinador o fez e os numeros tambem falam por si. Se não queres ver isso é porque tens ódio ao vermelho ou não gostas de ver futebol…

    • Eu conheço esta azia. Adoro. Continua a roer-te.

      Em 16 jogos ganha 15. Não ganhou 16 porque os jogadores decidiram dormir.

      Vai ganhar aos 6 primeiros classificados. Fora!

      Quando chegou, o Benfica tinha menos 2 golos marcados do que o teu clube. Agora tem mais 27, ou lá o que é.

      Pode chegar aos 100 golos. Tem uma média de quase 4 por jogo.

      Tem uma equipa tipo com 7 portugueses. Sete. 4 são da formação com 20 anos ou menos.

      Quando chegou tinha 7 pontos de atrasado. Passados uns meses tem 2 de avanço. É meio ponto por jornada. Coisa pouca.

      Tem um discurso impecável e educado, não tem receio de dizer o nome dos rivais. Não tem complexos de inferioridade.

      É bem educado. Percebo que não estejas habituado.

      Fraco. Ahah!

      • Tudo dito pelo Benfiquista Tripeiro – e estatística não é tudo, mas quando é tão avassaladora, é impossível de contrariar.

    • “Mas por outro lado, é uma equipa muito desequilibrada na perda, não tem médios intensos nessa componente e a própria transição defensiva não é boa, o Benfica não é forte em nenhum momento de jogo, não sabe gerir os ritmos de jogo, vive das individualidades que são superior às outras equipas.”

      Estás a falar do Benfica do Lage ou do Benfica do RV? Viste os jogos em Guimarães? No Dragão? Em Alvalade para o campeonato? Tens coragem para dizer que o comportamento colectivo nos diferentes momentos de jogo foi mau? Lol…

      2019, Lateral Esquerdo e ainda se fala de intensidade lol….
      Se intensidade for concentração e posicionamento correcto entendo mas intensidade de andar a correr que nem um idiota é a “intensidade” dos comentadores de futebol tão criticada por aqui…

  3. Olá a todos,
    A minha intervenção tem como objetivo ressaltar que o Lateral Esquerdo, que na minha opinião é claramente a melhor plataforma de análise do fenómeno futebolístico em Portugal, tem de facto um “fetiche” particular pelo Bruno Lage.
    Ora vejamos, como todos os que acompanham o blog com regularidade sabem, o LE tem como princípio não incorporar nas suas análises o papel, a prestação ou a influência que a equipa de arbitragem tem no jogo. Princípio no qual eu me revejo particularmente, até porque só gera uma discussão estéril e fomenta o ódio, dispersando do que mais importa. Com esta postura, o LE cria um valor ímpar no panorama nacional e fomenta a cocriação na caixa de comentários, através dos seus leitores que reconhecem que aqui não há espaço para se falar do que é acessório (entenda-se arbitragem).
    Não obstante, qual é o meu espanto quando na meia-final da taça da liga, após o Benfica ter sido eliminado pelo FC Porto, o LE faz referência ao tema, a propósito do golo anulado que daria o 2-2 antes do intervalo. Curiosamente, uns meses mais tarde, nos quartos de final da Liga Europa, o Benfica é eliminado pelo Eintracht Frankfurt e o LE, ainda que de forma mais ligeira e breve, faça referência ao tema.
    Ora, pelas duas únicas vezes que me recordo, com Bruno Lage ao leme (o treinador “que não encontra paralelo”), e após duas derrotas que o colocaram fora de duas competições, o LE de forma delicada lá deixou a sua pincelada mencionando o facto de determinados lances “não terem ajudado”. Sim, nesses lances é factual que o Benfica foi lesado, mas isso pouco importa para o que está a ser discutido.
    E apesar de não se deixarem de realizar as análises ao que se passou e encontrar os méritos, quer de FC Porto, quer de Eintracht Frankfurt, o reparo ficou feito para que todos o pudessem ler e principalmente não esquecer, criando assim, a par de Bruno Lage, um precedente que não encontra paralelo com outro do género desde a fundação do blog.
    Ficarei atento à vossa capacidade reflexiva.
    Abraços

    • contra o frankfurt o benfica é eliminado por um fora de jogo de um metro e meio. Não obstante o benfica jogou lá pessimamente. Agora, se referir isto é falar de árbitros então estamos conversados. Por muito que te custe Filipe, o Benfica ontem não ganhou pelo árbitro.

      • Ricardo, acho que não me compreendeste bem.
        Eu próprio referi que os lances a que o LE se mencionou nesses dois jogos, o Benfica foi claramente prejudicado e tem razões de queixa. No entanto, ao fazer-lo, o LE abre um precedente na “política” do blog a que nós leitores estamos habituados, ou seja, não se debruçar sobre lances de arbitragem, nem incorpora-los nas suas análises. A partir do momento que o fez nesses 2 jogos, com ou sem razão, terá que o fazer nas mesmas circunstâncias quando outros clubes, nomeadamente o Benfica, forem alvo de prejuízos claros que tenham influência no resultado (e como deves saber, são às dezenas por época).
        Não fiz referência sequer ao jogo de ontem na minha intervenção.
        Estarei atento.

          • Claro que sim.
            Relativamente ao jogo Benfica vs Porto para a meia final da Taça da Liga, imediatamente no título, “Who framed Rafa Silva?”, existe referência óbvia ao lance. Imediatamente em baixo, o post é ilustrado através da foto precisamente desse lance. Posteriormente, no corpo de texto, a sua introdução começa com “Era uma vez uns quantos gajos numa carrinha cheia de plasmas” e mais à frente “Assim, não tanto como rezarão certas crónicas mas também digno de algum realce, ficará para sempre marcado na história do jogo o lance que o VAR, e Carlos Xistra, consideraram como sendo ilegal, negando um empate que o Benfica levaria para o balneário.”
            No que diz respeito ao jogo com o Eintracht, no artigo “Tipo Frankfurt”, pode ler-se o seguinte: “E foi fazendo fé na ligação que permitiu o 4.º golo na Luz que Lage queria chegar à meia-final. Não apareceu a ligação na 1.ª, apareceu na 2.ª, e se a bola de Gedson ou a de Salvio entrassem (ou se houvesse um VAR que anulasse o primeiro golo dos alemães) … Lage seria de novo o Deus que tantos querem, à força, que seja.”
            De forma mais encapotada, ou menos subtil, justa ou injustamente, a referência está lá e há mesmo quem queira que Lage se torne Deus.

          • Pensei que davas a entender que essas referências tivessem sido em textos escritos por mim..

  4. Eu não vi a primeira parte de ontem por isso não vou comentar o jogo – na segunda parte só existiu uma equipa em campo e não entendo a polémica com os árbitros, principalmente se compararmos com outros jogos realmente bastante complicados, pareceu-me um jogo sem grande discussão (o único lance que poderia ter outra decisão era o eventual segundo amarelo ao Félix, que seria algo forçadíssimo tendo em conta os critérios utilizados ao longo da competição e também a falta deles).

    Sobre o trabalho do Lage identifico aqui algum exagero, ainda que no geral seja uma análise concreta. Mas acredito que tem feito um trabalho bem interessante (e forte em organização ofensiva, oh Brian!) e que a grande prova dos nove vem a partir de Julho. Ganhando ou perdendo o campeonato, não interessa. Só ali vamos conhecer o puro Bruno Lage.

    Apenas continuo a não entender os adjectivos e epítetos devastadores que o Seferovic merece, sobretudo se comparados com o que vocês vão escrevendo sobre Dost, Soares, Luiz P., Aboubakar, Dyego Sousa e outros similares. Sinto que há outras coisas no meio da vossa opinião sobre o suiço, tipo mostrar que têm sempre razão e outras dicas que no fundo talvez revelem as vossas inseguranças.

    O rapaz pode fazer o melhor dos jogos – e já o fez, mesmo com bola e dentro do seu perfil – que para os autores é literalmente igual a zero. Fazem-me lembrar as parvoíces que foram para aqui debitando sobre o Raúl Jimenez, que só era forte na área e tal e bla bla bla. O Seferovic está longe de ser um jogador de futebol espectacular mas também está longe de ser o marreco que por aqui descrevem (são 26 acções decisivas – entre golos e assistências – em 26 jogos efectuados no campeonato). Caso não seja nada pessoal, recomendo comiseração com os adjectivos.

      • Não concordo nada, Maldini.

        Veio em baixa de forma, depois da lesão. O Benfica ganha nas Antas por ter um avançado com as características do suíço.

        Lembro-me de, também aqui, se exaltar o Lima, em detrimento do Cardozo. Percebo o ponto de vista, mas não concordo. Muitas vezes, muitas mesmo, são estes avançados que resolvem os jogos, por mais inteligente que seja o jogar da equipa, até à bola lá chegar à frente.

  5. “A transição defensiva não é boa “, não, se calhar não está no nível que o Lage quer, mas afirmar que não é boa é não ter visto o que o Benfica era e o que é hoje è um bocado redutor

  6. Vou falar de vários pontos:

    1) O LE falar de arbitragens. Realmente não é um tema que se refiram muito mas acho que há situações em que podem falar nisso, se for apenas uma pequena referência. Não devem falar em lances que dependa da interpretação do árbitro. Mas foras de jogo, algo completamente objetivo (exceto nos casos em que o jogador não toca na bola e se discute se tem ou não interferência no lance), podem ser mencionados, se não for o foco da análise.

    2) O Bruno Lage ser muito fraco e apenas ter apostado nos jogadores da B porque já os conhecia é uma opinião que não faz muito sentido. Foi notória a melhoria em todos os aspetos de muitos jogadores. Recuperou o Samaris que passou de entrar bastante nervoso a querer bater em tudo (isto nas poucas vezes que entrava) a titular indiscutível e ser um dos jogadores com mais cabeça fria na equipa, em que é ele a fazer com que colegas de equipa não percam a cabeça. Mandou o Alfa embora, pois apesar de ter algumas qualidades, tem falhas graves que fazem dele pior solução do que os restantes, incluindo o Florentino que ele já conhecia. Colocou o Felix na sua posição e apostou realmente nele, fez explodir o Rafa, colocou o Pizzi a render bastante mais, apostou no Ferro e finalmente temos ali um central muito certinho, estilo Garay. Nem o RV considero muito fraco, simplesmente já estavam criados muitos vícios e o ciclo dele tinha claramente terminado. O Bruno Lage, sem pre época, sem hipótese de escolher nenhuma contratação (apenas lhe deram a hipótese de despachar alguns jogadores) conseguiu isto. Pode ter os seus defeitos e ainda ter muito para aprender, mas é um bom treinador e que irá certamente melhorar ao longo das próximas épocas de preferência no Benfica).

    3) O Benfica tem o melhor plantel de Portugal, apesar de algumas lacunas graves. Nas posições do Grimaldo, Ferro, Samaris, Rafa e Felix não queria ninguém. O Ruben Dias tem algumas falhas mas também tem muita qualidade. O próprio André Almeida tem estado muito bem. É um jogador que cresce com a equipa e é capaz de disfarçar os pontos fracos se não tiver tudo a meter água. Florentino pode ainda não ser o melhor na sua posição mas se ficar uns anos, será certamente. Pizzi e Gabriel têm muita qualidade. O Bruno Fernandes seria titular de caras mas sendo ele meia equipa do Sporting, não retira mérito a estes jogadores. Para o lugar de ponta de lança, obviamente que nos falta alguém (provavelmente até mais que um jogador). O Seferovic tem alguns defeitos mas é muito forte psicologicamente. Nunca se deixou afetar pelos falhanços mais parvos nem por ter passado a época anterior a ser colocado a 10 minutos do fim na ala e começar esta como dispensado. Claro que ter Seferovic e um Jonas muito debilitado não chega. Falta-nos um jogador do estilo do Mitroglou e + um avançado para suplente. Quanto ao guarda redes, ironicamente, o Vlachodimos parece-me o único jogador que piorou as performances com o Bruno Lage. Claro que faltam outros laterais para suplente (ou até para titular no caso do lado direito), que o Fejsa não é o mesmo desde a última lesão, que o Jardel também parece fora de forma, que o Conti não é jogador para o Benfica (sinceramente, do pouco que jogou, preferi o Lema), que o Salvio também já jogou muito melhor, que o Cervi não evoluiu desde a primeira época, que algo de estranho se passa com o Zivkovic, que o Krovinovic também nunca mais foi o mesmo e daí o plantel ser desiquilibrado.

    • Discordo. Na minha opinião a segunda parte e consequente jogo é me impossível fazer qualquer tipo de análise quando a equipa em campo que mais influenciou o resultado foi a de arbitragem. Um árbitro e VAR assinalaram dois penalties, o primeiro inexistente e o Segundo tenho a certeza que na área do Benfica não seria assinalado mas aceito a. Marcação. Quanto ao critério dos amarelos relembrar que muito falam do 2o amarelo ao feliz, esquecem de mencionar o curioso que antes disso e preciso não esquecer que ele na falta que levou o primeiro amarelo deveria ter levado vermelho pela entrada de tesoura por trás. Ainda no dia anterior vi o Dortmund Shalke.. Convido a verem, para perceber como lá fora são avaliados os lances. Finalizando,o florentino se fosse jogo europeu teria sido expulso. Talvez seja também este o motivo dos sucessivos fracassos europeus do Benfica nos últimos anos consequentes expulsões de jogadores em jogos europeus: Os jogadores não estão habituados a serem castigados. Deixo a Curiosidade que quando internamente tinham arbitragens de domínio azul coincidiu com as grandes campanhas do Jesus na Europa.

      Finalizando, perante tantos erros de arbitragem, acho fantasioso fazer qualquer tipo de análise do que seja, mas elogio a capacidade de quem o consiga.
      Qualquer das formas parabéns ao Benfica pela vitória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*