Europeu Sub-19: Onze da 1ª Jornada

GR: Plizzari (Itália)

Conseguiu manter a sua baliza a zero com uma série de boas defesas revelando elasticidade, mostrando também eficácia a fazer a mancha em situações de 1×1. Tendência para sair de punhos. Nascido no ano 2000.

DD: M. Yilmaz (Turquia)

Já na equipa B do Bayern de Munique, mostrou qualidade técnica e velocidade em progressão, além de capacidade no drible.

DC: Kamara (França)

Forte na antecipação. Com bola, conduz e provoca adversários e solta com critério, preferencialmente dentro do bloco adversário.

DC: Celebi (Turquia)

Imponente no jogo aéreo, mostrou-se também confortável com bola e revelou boa leitura de jogo.

DE: Tripaldelli (Itália)

Numa posição bem servida em quase todas as selecções, com o português Rúben Vinagre ou o inglês Adam Lewis à cabeça, foi a capacidade defensiva e eficácia nos duelos do italiano a fazê-lo integrar este onze. Ofensivamente, sobe mais em apoio e revelou qualidade no cruzamento.

MDC: Tonali (Itália)

Actual jogador e formado no Brescia, cabelo comprido e médio defensivo a comparação com Pirlo torna-se inevitável. Capacidade para utilizar os dois pés no passe, seja curto, longo, de primeira, tomando quase sempre a melhor solução. Atento nas coberturas, necessita de melhorar as situações de 1×1 defensivas.

MC: Nguiamba (França)

Capacidade de passe, preferencialmente passes verticais. Boa capacidade de decisão, sendo também competente nas transições defensivas, fazendo uso do seu desarme.

MC: Oksanen (Finlândia)

Juntamente com o seu parceiro de meio-campo (Mohamed), foi um dos destaques de uma surpreendentemente organizada e competente Finlândia. Protege bem a bola e utiliza processos simples e eficazes, sobretudo variações de flanco.

ED: Francisco Trincão (Portugal)

Tecnicamente evoluído, a sua capacidade de drible aliada à velocidade causou sempre perigo à Noruega. Somando a isto qualidade na finalização o resultado só poderia ser uma das melhores exibições individuais nesta 1ª jornada.

EE: Buletsa (Ucrânia)

Jogador de zonas interiores, também fez bastante uso da sua qualidade técnica (seja passe, condução em velocidade e remate) juntamente com uma boa tomada de decisão.

AC: Yalcin (Tuquia)

Avançado dinâmico e muito participativo na organização ofensiva da Turquia. Funcionou muito bem como apoio frontal, procurando respeitar as tabelas com os colegas. Mostrou também atributos no drible e no remate.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*