Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3630 artigos
Pedro Bouças - Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

8 Comentários

  1. Há pouco tempo CR disse que os treinos do Zidane práticamente não tinham componente tática. Será isso que vemos hoje no real? Não há sistematização de movimentos ou processos? está tudo entregue à genialidade e talento dos jogadores?

  2. Porra este blog atingiu o topo. Agora além de análises temos direito a complemento com estrofes do Palma. Para mim tornava-se hábito

    • A) n recordo nenhum dos autores ter dito q era o melhor do mundo

      B) os elogios foram bem antes de ganhar como as críticas agora estão a ser bem antes de perder 😏

        • Pois, eu vou mesmo referir-me aos autores do blog.

          https://www.lateralesquerdo.com/2018/05/02/e-so-quando-querem/ “Depois de deixar para trás talvez a equipa com maior investimento individual, a seguir ao City de Guardiola, o campeão Italiano e o campeão Alemão! Real está na 3ª final consecutiva!!” – os resultados a ditar a análise, e não o contrário;

          https://www.lateralesquerdo.com/2016/11/24/codigo-zidane/ “o Zidane treinador escreve a sua entrada na enciclopédia do futebol”;

          https://www.lateralesquerdo.com/2017/09/10/jogar-e-correr-explica-zidane-o-lider-do-primeiro-bicampeao-da-liga-dos-campeoes/ “a equipa de Pep Guardiola na Catalunha é a melhor de toda a história do futebol, a de Zidane em Madrid apresente o melhor futebol e os melhores resultados desde então.” Se não é o melhor treinador de sempre, convenhamos que é apresentado como estando muito perto de ser o segundo melhor;

          https://www.lateralesquerdo.com/2017/08/17/rendidos-como-zidane-aproveita-as-individualidades-que-construiram-a-melhor-equipa-europeia-pos-barcelona-de-pep/ “Mas como extrai Zidane o melhor de cada um dos seus jogadores?” Se calhar não extrai, nem extraiu. Foi rezando a todos os santos, e a fé, a sorte e a fortuna lá o assistiram. Não há nada de mal, nem de errado nisso, e certamente o Zidane tem uma montra de troféus maior que 99% dos treinadores. Mas do Lateral Esquerdo eu esperava muito, mas mesmo muito mais.

          O LE já foi das melhores páginas de Portugal, e em relação a falar de futebol, então, estava a milhas de distância da competição. Considerei ainda ser patrono, mas entretanto alguma coisa mudou, e para pior, desde que saiu da plataforma do Blogspot para a do Patreon. Talvez o aumento da audiência, talvez a necessidade de responder aos patronos, não sei; mas passou de uma página de referência para uma igual a várias outras, e isso é altamente doloroso. Até vou repetir o comentário que fiz nessa altura:

          https://www.lateralesquerdo.com/2018/05/02/e-so-quando-querem/

          “Admito que este deve ser o artigo mais surpreendente, e pela negativa, que li no Lateral Esquerdo. Desde que me lembro de começar a ler, o LE era das poucas páginas que ignorava os resultados e se centrava no processo. E isso era, de longe, muito mais à frente que 99% de comentários, jornais, páginas, comentários televisivos, conseguia. Assim de repente, quando o Jorge Jesus foi massacrado por ter perdido o campeonato aos 92′, o LE terá sido dos poucos a defender o processo que o agora treinador do Sporting apresentava; quando o Mourinho alcançava o último campeonato pelo Chelsea, e se cantava e laureava como o Special One estava de volta, o LE foi dos (muito) poucos a apontar que Mourinho já não era assim tão especial (ainda que já não tão especial, continuava a ser muito competente), e que o seu processo estava a retroceder em relação ao que já tinha sido.

          Este artigo é, tanto quanto posso perceber, a primeira vez que no LE se faz o caminho inverso: olha-se para os resultados, e daí se infere o processo, sem qualquer justificação crítica, sem qualquer argumentação precisa.”

          • Tudo muda, inclusivamente o futebol da mesma equipa com o mesmo treinador. Mudaram jogadores fulcrais, logo mudaram determinadas dinâmicas que existiam há vários anos. Não se pode manter a mesma opinião, se já não se está a observar a mesma coisa. Especificamente sobre o Zidane, foi o treinador certo para o Real ganhar aquelas champions de seguida. Isso quer dizer que é o melhor treinador do mundo? Não, se calhar foi o melhor num determinado momento, até porque eles são contratados para ganhar e foi o que ele fez. Se só deves avaliar o treinador pelos resultados? Obviamente que não, mas se o Zidane conseguiu naqueles 2 anos aliar um futebol vistoso com título importantes, vamos dizer que é só sorte? Não nos podemos esquecer que quem jogam são os jogadores, e o treinador pode ter as melhores intenções e os melhores métodos, porque se os atletas não estiverem comprometidos, nada resulta. Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*